Sejam Bem Vindos!

Quero agradecer, carinhosamente, pela sua visita e espero que possamos continuar partilhando experiências, as quais considero-as importantes para manutenção de minha recuperação.
Sua partilha (comentários) aqui nos Posts, bem como seguir-me quando julgares conveniente, é importante para que possamos estreitar ainda mais a nossa amizade, algo que é fundamental para um crescimento em nível de ser humano...ainda mais quando se trata de um adicto em recuperação, como eu.
Por isso, mais uma vez, muito obrigado por sua presença!
Que bom que você veio! Que bom que você me visitou!
Melhor ainda será ler seus comentários e ver-te aqui, sempre que possível, ajudando-me dia-a-dia.
Que O PODER SUPERIOR continue te concedendo o direito de reconhecer, aceitar e realizar a Vontade DELE, em todas as suas épocas e lugares, para que só assim, possas continuar desfrutando destas Dádivas de renovados dias Limpos, Serenos e repletos de Saúde e Paz!
Abraços e TAMUJUNTU.
Loading...

Siga por e-mail

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A INDÚSTRIA DO ÁLCOOL E A VIOLÊNCIA

Paula Miraglia
Antropóloga analisa segurança pública, justiça e cidadania

Último Segundo Papel da publicidade nos comerciais de cerveja é tema de debate da Organização Mundial da Saúde na África do Sul

Acontece em Cape Town a 5ª reunião da Campanha Global pela prevenção da violência, promovida pela  Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre os especialistas presentes, vindos de diferentes países, parece haver consenso em torno do fato de que o álcool tem um papel relevante na produção e reprodução da violência.
É reconhecido que criminalidade e violência são resultado de um conjunto de fatores. Desigualdade social e econômica, mercado ilegal de armas de fogo, uma cultura pautada pela resolução violenta de conflitos são alguns deles. Mas é inegável que sobretudo em se tratando de violência interpessoal, como é o caso dos homicídios ou da violência doméstica, se o álcool não pode ser apontado como a causa, ele é sem dúvida um catalisador poderoso.
Políticas públicas de prevenção que tiveram resultados positivos, como foi o caso do município de Diadema (SP), incluíram a regulação e redução do consumo de álcool entre as medidas adotadas.
Umas das questões debatidas por especialistas na África do Sul foi o papel da publicidade. Assim como no Brasil, a propaganda de cerveja é veiculada livremente. Claramente visando jovens e adolescentes, evoca constantemente a idéia de sucesso, juventude e até saúde - se no Brasil os jogadores de futebol são os garotos propaganda, aqui são ídolos da seleção de rugby os escolhidos para vender cerveja.
O ex-ministro da saúde José Gomes Temporão, no inicio do seu mandato, ainda no governo Lula, anunciou que o consumo abusivo do álcool e os problemas derivados dele seriam sua prioridade. Aos poucos, o tema desapareceu da agenda política do ministro e de governo.
A regulação da publicidade é controversa e sempre objeto de debate. Mas diante de um problema de saúde e segurança pública tão evidente, será a indústria capaz de negar sua parcela de responsabilidade?
Disponível em: http://www.uniad.org.br/

3 comentários:

  1. Ótima postagem amigo, a pergunta que encerra o texto é de fato algo que deveria ser perguntado à todos com frequencia...
    Tamujuntos sempre!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente, amiga!
    Entretanto, a resposta eu, particularmente, já sei qual é.
    Abração e TAMUJUNTU.

    ResponderExcluir
  3. Adoro suas provocações...
    Governo ganha sua parcela com toda essa publicidade afinal alcool é droga lícitas assim como tabaco e daí os impostos são pratos cheios para eles neh?
    Porém a Segurança Pública fica em terceiro plano ou mais....
    PAZ E BEM!

    ResponderExcluir