Sejam Bem Vindos!

Quero agradecer, carinhosamente, pela sua visita e espero que possamos continuar partilhando experiências, as quais considero-as importantes para manutenção de minha recuperação.
Sua partilha (comentários) aqui nos Posts, bem como seguir-me quando julgares conveniente, é importante para que possamos estreitar ainda mais a nossa amizade, algo que é fundamental para um crescimento em nível de ser humano...ainda mais quando se trata de um adicto em recuperação, como eu.
Por isso, mais uma vez, muito obrigado por sua presença!
Que bom que você veio! Que bom que você me visitou!
Melhor ainda será ler seus comentários e ver-te aqui, sempre que possível, ajudando-me dia-a-dia.
Que O PODER SUPERIOR continue te concedendo o direito de reconhecer, aceitar e realizar a Vontade DELE, em todas as suas épocas e lugares, para que só assim, possas continuar desfrutando destas Dádivas de renovados dias Limpos, Serenos e repletos de Saúde e Paz!
Abraços e TAMUJUNTU.
Loading...

Siga por e-mail

sábado, 30 de julho de 2011

DA ESCRAVIDÃO PARA A LIBERDADE.

 
Durante minha vida de ativa, passei por uns momentos que não mais esquecerei. Não tenho como descrê-los todos eles aqui, devido à serem inúmeros os episódios marcantes, bem como suas complexidade e a repercussão que eles poderão trazer. Porém, postarei aqui no Blog, sempre que julgar necessário, narrativas de alguns destes momentos inesquecíveis, marcantes e, muitos deles, trágicos.
Hoje tentarei falar de um destes momentos. Na real, na real, eu quero apenas fazer referência à uma frase que uma pessoa sempre falava, durante um dos momentos marcantes de minha vida. Estou me referindo ao tempo em que fiquei em reclusão, num presídio se segurança máxima, a disposição da Justiça, cumprindo o então, Artigo 12, caput, da Lei 6.368/76.
A história é a seguinte. No mesmo Pavilhão em que eu morava, havia um homem que estava lá há muitos anos...há exatamente 18 anos. Ele já havia aceitado Jesus e sempre falava de suas mudanças na vida, embora ainda tivesse sem previsão de sair, pois era sentenciado à 86 anos e alguns meses de reclusão, por vários Artigos do CPP. Se bem que sabemos que o máximo que se fica preso são 30 anos. Ainda assim, muitas coisas conspiravam contra aquele homem, tipo, já era a 4ª vez que ele era detento; já havia fugido 2 vezes e isso pesa muito nas considerações; um dos processos tinha como vítima a irmã de um Juíz de Direito; outro era um policial e, pra quem não sabe, quem mexe com polícia, sofre dentro da cadeia, na mão dos outros policiais;  pra completar, ele era de baixa renda e tinha um Defensor Público. Entretanto, com tudo isto em seu desfavor, ele tinha se reconciliado com Cristo e conseguiu O Maior DEFENSOR PÚBLICO que há no Mundo. E ele sempre dizia aos demais detentos da Unidade Prisional a seguinte frase: “EU HOJE ESTOU MAIS LIBERTO DE QUE QUANDO EU ESTAVA EM LIBERDADE!”.
Aquela frase dele me deixava intrigado, querendo entender como é que um cara que está preso há 18 anos, diz que está mais liberto de que quando estava nas ruas?!? Sinceramente, eu demorei muito tempo pra entender.
Aquele homem sempre falava de sua vida, de seu passado e seu envolvimento com as Drogas; falava das vezes em que cometeu insanidades e não se lembrava; de como tudo começou em sua vida, com uso de bebidas alcoólicas; falava de seu fundo de poço, de suas perdas de tudo que havia passado por ter se tornado um dependente químico. Quando ele falava aquilo, eu me identificava direitinho com a história dele. Minha vida tava tomando o mesmo rumo. Eu também me sentia totalmente dependente das Drogas. Eu não conseguia nem imaginar como era que eu poderia viver “de cara”. Mas também não conseguia nem imaginar que eu poderia vir a passar o mesmo tempo que ele passou na prisão, já que éramos idênticos em nossas histórias de vida.
Um dia, na verdade era madrugada, o Batalhão de Choque invadiu o Pavilhão “F” do Presídio. Cada Pavilhão tinha dezenas de celas. Neste havia 40. Eram 20 celas no raio Leste e 20 no raio Oeste. Cada cela tinha dezenas de Detentos. Era lá que eu morava. Cela 16, raio Leste do Pavilhão “F”. Fomos todos os Detentos do Pavilhão levados para o campo de futebol, totalmente nus, para permanecermos sentados naquela grama fria, molhada pelo sereno da madrugada. Enquanto isto, a revista continuava no Pavilhão todo. Encontraram em várias celas, armas branca, Drogas e até um início de um “tatu”, (nome dado ao buraco para fuga por túnel). Resultado: todos os que moravam nas celas onde foram encontradas irregularidades, foram levados, uns para o castigo e outros para a disciplina...pense numa lotação! Super lotação!  E quem estava lá? O irmão...novamente dizendo a frase: “EU HOJE ESTOU MAIS LIBERTO DE QUE QUANDO EU ESTAVA EM LIBERDADE!”.
Mas tinha outro que morava justamente na minha cela, que era ateu (e atoa), e que a gente estudava o anticristo. Aí quando o irmão acabava de falar que “EU HOJE ESTOU MAIS LIBERTO DE QUE QUANDO EU ESTAVA EM LIBERDADE!”, eu tirava onda da cara dele. Eu sempre dizia assim: “- Meu irmão, a cadeia já comeu o juízo desse cara, oh! Ele tá 18 anos aqui dentro e ele ainda vem com essa onda paia de que tá mais liberto de que quando tava solto!?!?! Isso é onda, é? Vê a viagem do cara!”.
Nisso a galera toda sorria. Distraiamos com as “viagens” do irmão.
Mas aí, eu tirei minha tranca de boa. Fui solto. Continuei na ativa, nas insanidades e a cadeia já me chamava de novo. Foi quando me dei conta que eu estava verdadeiramente preso às Drogas. Foi quando eu comecei a entender o que o irmão estava querendo dizer. Percebi que o espaço físico que limitava ele não era nenhuma prisão, mas  sim o local onde ele estava pagando pelo erro dele, por desobedecer a Lei dos homens, mas que, na vida que ele agora já estava vivendo, que é a vida Espiritual, nesta ele era um homem verdadeiramente livre. Enquanto que eu, em liberdade, estava mais preso nas Drogas do que quando estava Recluso.
Hoje eu dou valor às minhas Liberdades. Valorizo cada uma delas. Valorizo minha Liberdade de Expressão. Valorizo minha Liberdade de ir e vir. Valorizo minha Liberdade de Espírito. Valorizo minha Liberdade de escolha e SÓ POR HOJE, a minha escolha eu faço por continuar minha Recuperação, não usando Drogas e compartilhando Fé, Forças e Esperanças, e a alegria de dizer que HOJE eu tenho UM PODER SUPERIOR, que ele fez MILAGRES acontecer em minha vida e permite que este MILAGRE venha acontecendo até HOJE. “UM ADICTO LIMPO POR UM DIA É UM VERDADEIRO MILAGRE”.
SÓ POR HOJE, EU SOU UM MILAGRE!
SÓ POR HOJE – FUNCIONA!
Abração a todos e TAMUJUNTU.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

ADICÇÃO ÀS DROGAS EM FAMÍLIA

 

A "Doença da Adicção" é aquela em que as pessoas acometidas, homens ou mulheres, para quem não somente as drogas, mas qualquer outro produto ou atividade a qual a pessoa se relacione, acabam por tornaram-se um problema maior. O termo "adicto" vem do latim, que significa: (afeiçoado, inclinado, dependente, ou seja, pessoa que tem um vício qualquer que lhe seja nocivo). O adicto, quando toma consciência de seu problema, descobre que é portador de uma doença chamada "Adicção". Segundo o Dr. Aviel Goodman, do Instituto de Psiquiatria de Minnesota, os transtornos de adição situam-se na intersecção de transtornos obsessivos e compulsivos. A Doença da Adicção afeta negativamente o indivíduo em três áreas da sua vida: a física, a emocional e a espiritual.
Adicção às Drogas é uma Doença que atinge, inevitavelmente, não somente o seu portador, mas toda a Sociedade e seus segmentos, principalmente as pessoas que cercam (convivem) com um Adicto. Principalmente quando o Adicto está na ativa. Sim, digo principalmente os Adictos na ativa, pois os Adictos em Recuperação não viraram um Santo, são Adictos em Recuperação...porém, Adictos às Drogas.
Considerando que o uso de substâncias (Drogas) é apenas uma das características da Doença, o Adicto, ainda que esteja em Recuperação, pode continuar manifestando todo um comportamento manipulador, egocêntrico, desonesto, insano, vivendo num mundo irreal, distorcido, seus projetos continuam sendo grandiosos e tal como seu mundo completamente irreal, como se ainda estivesse na ativa. Estes comportamentos podem, quase sempre, levá-lo ao uso de Drogas.
Um Adicto às Drogas está sempre em corda-bamba. Se vacilar, cai.

 E é como andar de bicicleta...se parar de pedalar, cai.
Assim, é fato que um Adicto às Drogas, esteja ele na ativa ou em Recuperação, tem todo um diferencial em seu convívio social, familiar e /ou profissional. Quem convive com um Adicto às Drogas, que o diga.
Logicamente que um Adicto na ativa é bem mais complicado de se conviver. Eu costumo dizer que na casa de um Adicto às Drogas, até o cachorro é neurótico. Lá em casa, por exemplo, quando eu era criança, meu Pai chegava a noite e quando parava em frente ao portão, dava uma buzinada, logo a nossa cachorrinha corria para o portão, balançando o rabo, demonstrando alegria de ver o seu dono chegando. Porém, quando ele chegava “chapado”, as coisas eram diferente...bem diferente.
No portão, ao invés de uma simples buzinada, tipo, “bi-bi”, ele segurava a buzina por uns 10 segundos, tipo, “biiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii”.
Minha Mãe, coitada,  já neurótica, toda apavorada, corria para o portão, tentando chegar rápido, antes que meu Pai metesse o carro por cima. E a cachorrinha????
 
–Bom!! Nestas alturas já estava escondida há tempo, como medo daquele homem transformado que acabara de chegar.
É triste a convivência com um Dependente Químico.
Dentro de casa ele é uma pessoa. Com os comparsas, já é outra pessoa. No trabalho (aqueles que ainda conseguem manter) é outra pessoa. Ele consegue ter tripla, quádrupla, quíntupla personalidades, num período de menos de 15 minutos. A família, que é quem geralmente mais está perto, fica tão doente quanto o próprio Dependente Químico. Chega ao ponto do sofrimento do familiar ser tão grande, que já acompanhei vários casos em que o familiar comete insanidades, acreditando ser a única saída para resolver o problema. Não é fácil para um Pai, uma Mãe, um Irmão, uma Irmã, um Filho, uma Filha, ver um parente seu viciado em Drogas.
 Não é fácil ver seu parente sair para se drogar e ficar impossibilitado de tomar uma atitude que o impeça de seguir em frente. Não é fácil para uma Mãe ter que amarrar seu filho com correntes, para que ele não volte para se drogar ou não seja morto por conta das dívidas e/ou envolvimentos em delitos. 
  - Mais uma mãe acorrenta o filho para evitar o uso de drogas. Desta vez, em Maceió. O adolescentes, de 14 anos, roubava objetos de casa e dos vizinhos  para trocar por drogas. “Estou desesperada com o meu filho desse jeito”, confessou a mãe, dona Maria Aparecida, em entrevista à Rádio Gazeta;. “É a terceira vez , que o meu filho é acorrentado.” Durante a entrevista, o menor fugiu, abrindo o cadeado com um pedaço de arame .   A família  procurou o Conselho Tutelar , mas receberam uma triste informação: por  morar com os pais, o Conselho nada poderia fazer. Além do menor, Maria Aparecida tem mais três filhos. - http://blogs.jovempan.uol.com.br/campanha/ultimas-noticias/mae-acorrenta-filho-para-evitar-uso-de-drogas-3/
Vejam o drama desta Mãe:


Vejam o drama desta outra Mãe:

Não é fácil um Pai ter que chamar a Polícia para prender o seu filho, que tentou matá-lo ou que está quebrando tudo dentro de casa. Eu, particularmente, passei por estas experiências e, numa delas, fui encaminhado para um hospital psiquiátrico, sem ser louco, mas minhas atitudes insanas me deixaram realmente louco. Eu cheguei ao ponto de ter várias lutas corporais com meu querido e saudoso Pai. Até tiro acertei no carro dele....com ele dentro...pense numa loucura!


Este vídeo mostra outra história comovente:   
    
Outro dia, eu fui chamado para levar a mensagem de NA à um jovem. O seu Pai estava presente e tentava ajudá-lo. Lembrei do meu Pai. Iniciei toda uma abordagem e voltei lá algumas vezes depois. Recentemente a mídia mostrou o final deste caso. O Pai não agüentou o desespero, deu uns tiros no filho e suicidou-se. Infelizmente este não foi o primeiro e nem será o último a cometer esta insanidade. AS Drogas estão acabando com toda uma estrutura familiar, e cada vez mais cedo isto acontece, pois, a realidade é que, por os jovens serem as maiores vítimas das Drogas, conseqüentemente suas famílias, que muitas vezes casam-se cedo, não suportam tanto sofrimento e abandonam o lar, o familiar e toda aquela jura de amor na saúde e na Doença.
Hoje em dia poucas são as mulheres, principalmente estas mais jovens, que agüentam tanto sofrimento tentando ajudar seu esposo Dependente Químico. O conceito de casamento já não existe dentro de muitas famílias que não tem um Adicto às Drogas, imagine naquelas que tem?!?!? Nos casos em que a mulher é a Dependente Química, aí é mais complicado ainda para o esposo agüentar muito tempo. Não que isso não aconteça, mas é bem mais difícil conviver com uma mulher Adicta às Drogas. E as estatísticas mostram que os números apontam um aumento considerável de mulheres Adictas às Drogas.

Vejam esta reportagem e acompanhe o drama desta Mãe que encontra a Filha nas ruas, se prostituindo para se drogar. Vejam também o que diz a Filha da dela. 
Eu fico me lembrando de minhas insanidades e de minha família passando vergonha. Fico lembrando das vezes que cheguei em casa, altas horas da madruga e minha Mãe chorando, minha Avó rezando, orando...chorando também...vinham me abraçar e eu dizia: “sai daqui! Me deixa quieto!”. Fico me lembrando das vezes em que minha Avó tinha que pagar o dinheiro que estava na Scola da Santa, que fazia as visitas nos lares e que eu furtava aquele trocado pra comprar cachaça. Lembro das vezes que minha Mãe e meu Pai foram chamados na escola para ouvir da Direção que eu não comparecia há temos e/ou que estava usando Drogas dentro da sala de aula. Lembro do desespero de Minha Mãe quando soube, pela primeira vez, que eu havia sido levado pela Polícia. Da vez que ela foi com meu Pai, diante do Juíz da Vara da Infância...das visitas da FEBEM...do dia em que procuraram as Jóias em casa e eu havia levado...das pisas que levei do meu Pai...dos castigos que ele me deu...de nossas lutas corporais...das manchetes nos jornais e noticiários reportando meu caso.
Minha Mãe demorou muito a acreditar que eu estava me Recuperando. Não tiro a razão dela, pois foram várias as vezes em que eu havia prometido me Recuperar...sem sucesso. A Dependência Química havia me tirado o poder de cumprir com minha palavra...eu dizia que “nunca mais” ia usar e logo estava usando novamente. Foram dezenas de internações...fui pra todas as Igrejas que conhecia...fui até Hare Krishna...nos meus últimos dias de adicção ativa, eu já ETA ateu e atoa...estudei o anti-cristo na prisão. Mas o Poder Superior tinha um MILAGRE a fazer na minha vida...e fez. E este MILAGRE vem acontecendo já alguns anos em minha vida, mas o mais importante é o hoje, que eu não usei Drogas, SÓ POR HOJE.
Hoje minha família já acredita em mim. Apesar de minhas insanidade, eu hoje consigo com que minha família confie em mim. Mas isso demorou longos anos pra acontecer. Lembro-me que minha Mãe só foi pela primeira vez no meu recebimento de fichas em A.A. quando eu completei meus 02 anos sóbrio, pois ela dizia que eu estava dando só um tempo...dois anos e ela não acreditava...totalmente desconfiada comigo. Demorou tempo para me dar um Dinheiro para pagar uma conta ou para ficar sozinho em casa. O abraço quando eu chegava em casa era mais para sentir o cheiro de que para expressar carinho. Minha família ainda hoje sofre muito, pois nós somos todos os filhos Dependentes Químico. Eu, que sou o mais velho, o meu irmão mais novo que eu e minha irmã, estamos em Recuperação. Mas tem outros dois que não estão bem e estão sendo moradores de rua, no Recife, e isso tem me consumido bastante, como co-dependente.
Agora eu pergunto: - Se ter um filho Dependente Químico já é dor de cabeça, imagine ter os 05 filhos Dependentes Químicos?
Tenho uma irmã mais nova, entrando na pré-adolescência, que está bem e mora com uma Tia minha, que tenho Fé no Poder Superior, não terá envolvimento com Drogas.
Finalizo este Post dedicando aos meus familiares e à todos os familiares dos Adictos Limpos e/ou na ativa!
 

SÓ POR HOJE – FUNCIONA!
 
Abração a todos!
TAMUJUNTU.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

“O BAGULHO É DOIDO....MAS A RECUPERAÇÃO É MAIS DOIDA AINDA!”

 

É comum, entre os Adictos na ativa, utilizar o termo “o bagulho é doido”, sempre que se refere a algo que seja impactante, principalmente quando estão se referindo à uma substância (droga) que seja considerada muito boa, de qualidade.  Normalmente, quando um sabe que a Droga é boa, diz: “Meu irmão! O bagulho é doido, oh, véi!”. Ou quando acabaram de fazer uma insanidade para conseguir a substância, diz: “Pode crê!  O bagulho é doido”. Se acabaram de usar, comenta com o outro: “O bagulho é doido, brother!”. 
Sempre um “maluco” na ativa quer ser mais “doido” que o outro.
Para quem não usa Drogas, é inadmissível ser chamado de “doido”, “maluco”. Mas pra quem vive no meio da Dependência Química, (principalmente das Drogas ilícitas), ser chamado de “maluco” é sinônimo de “chará”... é como se o outro tivesse dizendo: “tu és igual a mim”. Independente de se ter o mesmo nome, mas é como se fosse amigos, comparsas, etc. Até mesmo nas horas das “tretas” (brigas), quando um diz, mesmo que grosseiramente ao outro: “qual foi, maluco?!”, ainda assim, quem está sendo chamado de “maluco” sente-se honrado, por ser reconhecido como uma pessoa interada nas paradas.
Portanto, ser “maluco” é algo que todo usuário quer ser.
E, a princípio, quer apenas receber o “status” de “maluco”. Mas com o tempo, inevitavelmente, a maluquice chega... Não tem como não chegar. As insanidades logo serão uma constante na vida do usuário. Nos seus instantes de lucidez, os pensamentos são, quase sempre, manipuladores, tentando maneiras e meios de conseguir sua substância de preferência. As minhas mentiras, por exemplo, eram tão convincentes que até eu acreditava nelas. – É incrível como eu mentia tanto!
Eu vivia mesmo “rodado”. Aí está outro termo que muitas pessoas se indigna se forem chamado. Se uma mulher, por exemplo, for chamada de “rodada”, ela pode até querer partir pra violência, por entender que está sendo chamada de “mulher da vida”, etc...mas, se for uma usuária de Drogas, ser chamada de “rodada”, é como se tivesse entregando-a um Diploma de uma Faculdade da Vida, reconhecendo-a como formada em malandragem...é quase uma doutorada.
Aí eu digo: “O BAGULHO É DOIDO....MAS A RECUPERAÇÃO É MAIS DOIDA AINDA!”
Tempos atrás, mandei confeccionar umas camisas com esta frase, para os nossos alunos do Centro Terapêutico que eu faço parte da Equipe Técnica. Tomei conhecimento de que outras duas Comunidades Terapêuticas  também fizeram camisas com a mesma frase. É legal saber que esta frase vai chegar à alguns “malucos” que ainda estão na ativa e quem sabe ele queira escolher a Recuperação, por achar que “a Recuperação é mais doida ainda”.
Já que os Adictos na ativa sempre querem ser o mais “doido”, o mais “maluco”, o mais “rodado”, quero novamente dizer que “O BAGULHO É DOIDO....MAS A RECUPERAÇÃO É MAIS DOIDA AINDA!”
Hoje eu sou o Adicto mais “maluco”, mais “doido” e mais “rodado” que está em Recuperação.
Pode crê...em Recuperação, bota fé?
É, brother! Pra se manter Limpo, o Bagulho é doido!
Meu irmão....dizer “eu não to afim não....pode usar”, é um bagulho doido demais, tá ligado?
Chegar numa festa, vê a galera toda curtindo “chapado” e eu curtindo de boa, saindo dali com minhas próprias pernas e indo pra casa, ao invés de ser levado pra Delegacia, é um bagulho doido demais, oh!
Hoje, pra mim, o bagulho é doido demais, quando alguém chega pra mim, dizendo que tá rolando um bagulho doido e eu digo: “a minha Recuperação é mais doida ainda, oh, maluco!”.
Sou um “maluco” que me amarro em dizer aos meus ex-comparsas que, só por hoje, não uso Drogas. Sou um cara “rodado” que consigo entrar nas quebradas pra buscar um “maluco” recaído. Sou um “doido” que, mesmo com minhas insanidades, consigo manter meu propósito de continuar Limpo, um dia de cada vez.
Só Por Hoje, eu continuo dizendo: “O BAGULHO É DOIDO....MAS A RECUPERAÇÃO É MAIS DOIDA AINDA!”
Abração a todos.
TAMUJUNTU.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

OUTRAS VÍTIMAS E SUAS TRANSFORMAÇÕES FÍSICAS...POR CAUSA DAS DROGAS.

Outro dia, fiz aqui um Post sobre a Amy Winehouse. Postei algumas fotos dela antes de seu envolvimento com as Drogas e também postei algumas dela após o uso de Drogas.
Quem olhou, (Post antes e depois....das Drogas), deu para perceber a diferença.
Agora, estou colocando aqui, sem sensacionalismo, claro, algumas imagens que julgo ser interessante disponibilizar aqui no Blog, para que possamos ver que não é somente o nosso familiar que está sofrendo transformações..e que nem sempre as mudanças em nossos familiares são as mais incríveis que julgamos ser. De fato, sempre existe e existirá casos e mais casos bem mais complexo que o nosso. Se achamos que estamos tendo dificuldades com um familiar, amigo ou mesmo conhecido....ou até nós mesmos, que estamos lutando pra permanecer um dia Limpo, ainda assim, não são os nossos casos os mais graves. Nossas transformações, que hoje podem ser degradante, podem ser mínimas em comparação com outros casos semelhantes.
É por este motivo (e também por estas imagens já estarem circulando na net), que as disponibilizo aqui.

Certamente alguns aqui já viram estas imagens na net: 
  
A primeira imagem ela tinha 29 anos...a última ela tinha 30 anos!

Olhem esta moça:


Vejam esta aqui:

E estas outras

Quer ver mais?
 

Agora olhem estes homens:
         

Agora vejam todos estes aqui: