Sejam Bem Vindos!

Quero agradecer, carinhosamente, pela sua visita e espero que possamos continuar partilhando experiências, as quais considero-as importantes para manutenção de minha recuperação.
Sua partilha (comentários) aqui nos Posts, bem como seguir-me quando julgares conveniente, é importante para que possamos estreitar ainda mais a nossa amizade, algo que é fundamental para um crescimento em nível de ser humano...ainda mais quando se trata de um adicto em recuperação, como eu.
Por isso, mais uma vez, muito obrigado por sua presença!
Que bom que você veio! Que bom que você me visitou!
Melhor ainda será ler seus comentários e ver-te aqui, sempre que possível, ajudando-me dia-a-dia.
Que O PODER SUPERIOR continue te concedendo o direito de reconhecer, aceitar e realizar a Vontade DELE, em todas as suas épocas e lugares, para que só assim, possas continuar desfrutando destas Dádivas de renovados dias Limpos, Serenos e repletos de Saúde e Paz!
Abraços e TAMUJUNTU.
Loading...

Siga por e-mail

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

ME IDENTIFICANDO EM CADA PARTILHA.


Olá, pessoal!
Tudo bem com vocês?  Espero que sim.
Eu estou bem, desfrutando de saúde e paz, juntamente com todos os que me cercam.

Essa Região aqui do Nordeste está tão quente, que até as vacas estão dando leite em pó! rsrs

Afimaria!!!!! Estou indo estes dias para São Paulo, mas já tenho receio de pegar aquele frio enorme, pois sempre adoeço com o frio. Mas parece que lá também tá fazendo um calorzinho.

Acabo de chegar de uma viagem a trabalho, onde eu aproveitei para participar do 5º aniversário do Grupo existente naquela Cidade. Foram momentos de muitas partilhas e confraternização entre os companheiros(as) presentes, inclusive, com dez deles comemorando seus tempos limpos, o que fortalece mais ainda meu propósito de continuar voltando.

Como é grande o valor terapêutico da ajuda de um adicto a outro adicto!

Como diz a literatura, “o valor terapêutico da ajuda de um adicto a outro não tem paralelo. Sentimos que o nosso método é prático, porque um adicto pode melhor compreender e ajudar outro adicto.”.



Somente na sala podemos compreender a dimensão destas partilhas. Somente lá na sala podemos ver a dimensão de tudo isso.

Por mais que as abordagens de H&I sejam bem sucedidas; por mais que as chamadas do Linha de Ajuda tenham êxito; por mais que tenhamos aquela conversa aberta e sincera com nosso suposto adicto que busca ajuda, ainda assim, somente na sala, somente no Grupo é que podemos ver a grandeza desta mútua ajuda em ação.

Somente na sala podemos ver quantas vidas estão sendo resgatadas, salvas, graças a essa ajuda de quem vai buscá-la e, consequentemente, acaba dando.

É aquela sintonia, aquela identificação de nossas semelhanças e não de nossas diferenças, que proporcionam essa ajuda mútua. Um sugerido Programa que é feito por princípios espirituais que até o mais convicto dos ateus poderá segui-lo. Eu quem o diga.
A cada partilha, uma injeção de ânimo para quem está chegando, de que realmente há uma saída. A cada partilha, mais uma sutil prova da existência do Pode Superior àquele incrédulo que não acredita em DEUS.     Eu sou prova disso.     Comecei a acreditar após ver a misteriosa forma que ELE estava agindo em minha vida.

Em cada reunião, uma volta ao passado em nossas identificações, para que não mais voltemos a vivê-lo novamente na prática.

Só as lembranças já são suficientes para admitirmos que nós não tínhamos mais controle sobre adicção e sobre nossas vidas.

Hoje, em cada partilha, ficamos gratos pela vida que estamos tendo, pelo MILAGRE que fomos agraciados.

Naquela reunião de aniversário do Grupo eu pude ver nas partilhas, o meu histórico de ativa, através de cada companheiro que usou da palavra. Pude ver ainda a verdadeira gratidão, por cada afilhado ali presente apresentando seu Padrinho, expressando sua gratidão por tê-lo compartilhado o caminho que hoje ele trilha.

Também vi a GRATIDÃO na prática, pela belíssima festa que foi oferecida aos presentes, com muito bolo, refrigerantes, um almoço daqueles, etc. Isso tudo só pode mesmo ser compreendido dentro da sala e por mais que a gente narre aqui como foi, ainda assim, só mesmo quem estava lá ou quem já esteve por lá, sabe o quanto é inenarrável momento como estes.

Sabe, gente?  Eu estava sentadinho no meu cantinho e por alguns instantes eu estava cá nos meus “castelos”: “já pensou essa galera toda na ativa?”.

Pronto!!!!   Logo vi o inferno que seria. Parece que eu estava vendo um filme de terror com drama, um pouco de romance (desfeitos)... Até um pouco de comédia, com as cenas hilárias que presenciamos de alguns... Mas o que não se tem mesmo é ficção...são baseados em fatos reais.

...E por alguns instantes, eu pude ver tudo aquilo, só em imaginar tempos de outrora, com uma quantidade de adictos daqueles todos reunidos e na ativa. Seria um desassossego total para as famílias e para a sociedade, pois os que narraram suas histórias, não tinha nenhum santinho ali. O mais inocente dava nó em pingo d’agua e comia uma lata de doce sem nem abri-la.

Como foi bom eu ter ido ao Grupo presenciar aquelas partilhas! Que reunião maravilhosa!

Em meio às partilhas, eu olhava para mim mesmo e vi que eu estava todo limpinho, todo arrumadinho, sem nenhuma ressaca, sem tá me escondendo de ninguém, sem medo de andar pelas ruas, sem fissuras pra usar, sem vontade de morrer e sem ninguém na minha lista para matar.

Em meio às partilhas, as lembranças daqueles que fizeram parte de minha adicção ativa, daqueles que já não mais estão em nosso meio, bem como de todos os que fizeram e fazem parte de minha recuperação, me apadrinhando para que eu pudesse continuar voltando, permanecendo no meio, mesmo em meio às tribulações da vida.

Em meio às partilhas, as lágrimas rolaram!

Não tem coisa mais rápido do que a nossa mente. Em questão de milésimos de segundos, pensamos tantas coisas. Em frações de segundos, a mente vai de Fernando de Noronha à Etiópia. Em meio a cada partilha, o raciocínio “ligadão” na história do companheiro e as recordações “voando”...

Recordando a primeira droga, o primeiro uso. A primeira pisa que levei de meu Pai para não mais usar. As dificuldades de manter o estudo. As insanidades. A primeira vez que fui levado preso. As lágrimas de minha Mãe. As brigas com meus Pais. O abandono do estudo. A namorada brigando. A primeira filha sendo feita em cima de uma parada de ônibus. A carreira Militar que perdi. Os Militares que confrontei nas favelas e ruas do Recife. A esposa sofrendo. O primeiro crime. As prisões. As rebeliões nas penitenciárias. As juras de que não mais aprontaria. A vontade de controlar o uso. Os nomes que mudei várias vezes. As fugas.

Recordações dos montes de dinheiro que peguei até a vida morando na rua. As trocas de seringas. As Igrejas que frequentei e as internações que tive. A primeira abordagem. A primeira vez na sala. A primeira partilha. O primeiro cinzeiro que limpei na sala. O primeiro Evento da Irmandade que participei, ainda no meu quinto dia de ingresso. A primeira Literatura que ganhei, a primeira que li. O primeiro mês em Recuperação. A primeira vez que me prontifiquei a servir a Irmandade, para dar de graça o que de graça recebi (e continuo recebendo). O primeiro afilhado. O retorno ao trabalho profissional. O primeiro salário gasto corretamente sem ser em drogas. As viagens ao invés das fugas. Os passeios com a família sem levar drogas. O uso de meu nome ao invés dos pseudônimos. As salas que já frequentei. Os novos amigos(as) que fiz dentro da Irmandade e através dela. O meu reencontro do O PODER SUPERIOR. A forma misteriosa como ELE agiu em minha vida. Os MILAGRES que ELE vem operando em mim. A descoberta de quem realmente sou através da prática dos PASSOS... Etc, etc, etc.

Tenho que admitir...eu jamais imaginei que poderia aproveitar muito mais a vida sem usar drogas!

Tenho que admitir que se eu não tivesse parado de usar drogas, eu não mais estaria vivo!

Quero agradecer Ao PODER SUPERIOR por mais esta Dádiva de um novo dia, por mais esse dia Limpo, por esta nova maneira de viver que ELE me deu, por estas novas amizades que tenho, por mais estes compartilhar de experiências, por cada um(a) de vocês que estão aqui em meu blog, me ajudando com suas experiências, deixando aqui recados, enviando e-mails e trocando telefonemas. Minha gratidão para com cada um de vocês é enorme!

Como eu disse no início desta postagem, cheguei hoje de viagem e já estou viajando nesta quarta-feira para São Paulo, para ministrar um Curso lá em Campinas. Já tenho até uns encontros marcados aqui com uma turminha aqui do blog, para que possamos nos conhecer. Vai ser legal demais, oh!

Não vejo a hora de tá pertinho dessa turma que tanto me ajuda aqui.

De lá de São Paulo, estou indo para a Convenção Nacional, que acontecerá em Cuiabá/MT. Será outro momento ímpar em minha vida. As expectativas são as melhores possíveis.

Bom....por hoje é só o que preparei para vocês, meus amados. Espero que vocês estejam todos na paz e com saúde e que desfrutem de bons momentos.







Abração a todos e TAMUJUNTU.

Júnior – Um Adicto em Recuperação, Limpo, Só Por Hoje!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

NÓS APENAS TENTAMOS....


Nós Apenas Tentamos.

Minha estabilidade se originou em tentar dar, não em exigir que me dessem algo em troca.
O MELHOR DO BILL PG. 53


      Enquanto eu tento, com todo meu coração e minha alma, transmitir para os outros o que foi transmitido para mim, e não exigir nada em troca, a vida é boa para mim.

      Antes de entrar no programa de Alcoólicos Anônimos, nunca fui capaz de dar sem exigir alguma coisa de volta. Mal eu sabia que, uma vez que comece a dar livremente de mim, começarei a receber, sem nunca esperar ou exigir qualquer coisa. Hoje, o que recebo é a dádiva da estabilidade", como diz Bill: estabilidade em meu programa de A.A. e estabilidade dentro de mim mesmo; mas acima de tudo, estabilidade em meu relacionamento com meu Poder Superior, a quem escolho chamar de "Deus".



Olá, meus queridos companheiros(as)!

Nem vou me justificar pelos dias que passei sem postar aqui, mas acho que vocês já sabem que ultimamente estive mesmo demorando para fazer minhas postagens. Se bem que é por motivos alheios à minha vontade.

Mas o importante é que eu estou bem, estou com saúde e sóbrio, LIMPO, SÓ POR HOJE!

Aproveito para afirmar que estou sempre entrando nos blogs e tenho acompanhado cada história...
Eu me entrego tanto aos casos que acompanho no meu dia a dia que, ao me deparar com situações semelhantes aqui nos blogs, logo fico a imaginar que eu deveria também "fazer parte" das tentativas de soluções, ou, pelo menos, tentar ajudar.   Confesso que isso me deixa com uma sensação de impotência tão grande, que fico horas e mais horas pensando, pensando...

Essa Reflexão Diária do dia de hoje, intitulada "Nós Apenas Tentamos", cai direitinho para mim.  Estou vivendo esse lema diuturnamente. Eu passo "25" horas por dia "tentando" dar sem exigir nada em troca. Como diz a Reflexão, "Hoje, o que recebo é a dádiva da estabilidade" e "...a vida é boa para mim.".

A cada caso que me deparo no dia a dia, é como se eu tivesse vivenciando aquela situação. Quando é um(a) adicto na ativa, é como se eu relembrasse meu passado. Quando é um familiar, vivo intensamente os momentos de minha codependência e de minha família. Na mesma hora me vem o reconhecimento de que estou vivenciando uma estabilidade e que minha gratidão deve ser de forma prática e não apenas teórica, compartilhando a Dádiva de minha Recuperação com outros que ainda sofrem da adicção.

Viver um dia LIMPO é um verdadeiro MILAGRE!    Eu sei que, quanto mais grato eu for por este MILAGRE estar acontecendo em minha vida, mais eu me esforço para continuar sendo merecedor desta Dádiva.

Meus dias são bem mais alegres por não ter usado drogas. São bem mais alegres por saber que não estou mais fugindo da polícia. Minhas manhãs são bem melhores, pois não tenho mais aquelas ressacas insuportáveis e nem estou naquela fissura disgraçada para conseguir a próxima dose. Hoje sei que minha vida tem mais sentido do que àqueles sentidos insanos que eu daria a ela. Hoje eu aceito caminhar pela sombra, em busca de algo que tenha propósito, ao invés de andar pelo sol ardente, em minhas loucuras. Mas também me disponho em caminhar pelo sol ardente, desde que seja em busca de algo que tenha propósito, do que ficar à sombra, queimando os neurônios.

A Dádiva de minha Recuperação eu tento compartilhar com todos...independente do que se tenha que fazer para que isso seja possível.

Hoje eu sei que se eu dedicar a minha Recuperação pelo menos a metade do sacrifício que eu dedicava para conseguir a minha droga, certamente eu não mais voltarei a me drogar.

Agradeço ao meu Poder Superior por novamente assumir o controle de minha vida. (Terceiro Passo).

Agora estou sempre tentando melhorar meu contato consciente com ELE. (Décimo Primeiro Passo).

Esta semana continuarei viajando, participando de Eventos em prol da manutenção de minha Recuperação. Semana que vem estarei indo à São Paulo, participar de um Evento e promover outro. De lá, seguirei para Cuiabá, onde participarei de um outro Evento, representando o Estado onde moro atualmente. Para mim, será uma satisfação enorme participar deste Evento, justamente no mês em que completarei 17 anos que estou caminhando para uma sala de Reunião, "tentando" dar de graça o que de graça eu recebi.

Mais uma vez agradeço ao Poder Superior por estas oportunidades.

Agradeço carinhosamente a cada um de vocês que me ajudam aqui com suas experiências e palavras de apoio e motivação.

Muito obrigado pelos inúmeros emails e ligações que tenho recebido. Vocês já são parte de mim.

Finalizo com algumas palavras da Reflexão que iniciei este Post: "Enquanto eu tento, com todo meu coração e minha alma, transmitir para os outros o que foi transmitido para mim, e não exigir nada em troca, a vida é boa para mim."
  
Abração a todos e bons momentos.

TAMUJUNTU.

Júnior - Um adicto em Recuperação, Limpo, Só Por Hoje! 

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Saudades do meu Bairro Ipsep


Saudades do velho "moreno", vendedor de doces!

Ipsep...saudades arretada!!!! (Ipsep = Bairro do Recife/PE).

Lá eu nasci e me criei... Vivi os melhores momentos de minha vida. Mas também vivi coisas que hoje não quero mais viver. Hoje, através deste tal de facebook, consigo reencontrar amigos(as) que eu nem imagina reencontrar algum dia. Alguns que eu nem imaginava que pudessem estar vivos, pois eram meus "comparsas" do Submundo do Sistema em que estávamos vivendo.

Ipsep... Quanta insanidade eu vivi ali!

Tenho muitas reparações a fazer àquela população. Sei que algumas jamais poderão nem iniciá-las, mas algumas já estou preparando para que seja feita ainda este ano, quando de meu retorno (visita) a minha terrinha. Visita esta, diga-se de passagem, de grande risco para mim, por um dos motivos que me faz retornar ao meu Bairro Ipsep.

Na real, na real, são três os motivos que me levarão ao Recife/PE.: um deles é ir participar do Seminário Nordeste, representando o Maranhão. O outro motivo é visitar meus filhos que moram lá. E o outro é tentar resgatar meus dois irmãos que estão pelas Ruas do Recife e recentemente tive notícias que estão andando pelo Bairro em que nascemos e nos criamos. Aliás, estes dias apenas o mais novo foi visto por lá, mas o outro faz dias que ninguém o vê... Isso já me deixa preocupado mais ainda.


E como eu disse, andar pelas Ruas do Ipsep, de certa forma não é nada seguro para mim... Não pela minha Recuperação, mas pela minha vida!  Mas eu irei, pois preciso, mais uma vez, tentar encontrar meus irmãos.

Olhar aqui (no Grupo “Amigo do Ipsep” no Facebook) cada postagens dessa galera, me traz recordações tão emocionantes, que chego a respirar profundo, lembrando cada momento como se estivesse revivendo-o.

Até parece que estou jogando bola lá no campo do sargento ou na URB...ou mesmo lá na rua de casa...até parece que estou na barraca de batatinha de Ivone e Fatinha....ou na de Zé Adolfo...ou comendo lá no Aruba Lanches ou em Adonias Lanches.

Parece que estou no “pega” (racha de carros) da Avenida Recife...lembro-me como se fosse hoje quando estávamos sentado lá e minha querida amiga Nininha saiu, entrou no carro e veio a falecer num terrível acidente naquele “pega”. Saudades, Nininha!

Lembro-me das rodas de capoeira... Lembro até de uma que ficou marcada na história da capoeira no Ipsep...foi uma que aconteceu lá no Chico City, onde os grupos Chapéu de Couro e Senzala se enfrentaram e rolou até bala (tiros). ...eu estava lá.

Lembro-me quando ainda criança, de ir pegar beta lá no mangue...mas lembro-me quando adolescente ir passar o dia todo lá neste mesmo mangue, só curtindo, bebendo e usando muita cannabis. Tinha também outras substâncias, como cola, Artane, Rophynol, Rivotril, Lexotan,  “farinha”, etc, etc, etc, etc & etc... Lembro-me que a gente misturava tudo dentro de uma "birita" e tomava, além de cheirar muita farinha e tinha ainda uma porra de um colírio chamado CICLOPLÉGICO, que a gente usava pela narina....olha só....isso mesmo.....pela narina....a substância é um colírio, feito para pôr nos olhos (lógico) e a gente colocava na narina... Bastava duas ou três gotas em cada narina...pronto!!!  Era horas e mais horas de lombra!!!!

Quanta insanidade eu vivi naquele Ipsep!!!

Lembro-me de ir lá pro areal, ao lado do Aeroporto Internacional dos Guararapes... Quando criança, para soltar pipa...quando maior, para “pipar”.


Lembro-me pichar as paredes dos prédios e casas...das carreiras pelas madrugadas...

Lembro-me de uma “brincadeira” que eu inventei, (vejam só vocês que brincadeira), de jogar pedras nos vidros dos ônibus na Avenida Recife. A gente se escondia e quando os ônibus passavam, a gente atirava pedras para quebrar os vidros e corria. Aquilo era uma aventura muito massa, oh!!! A gente achava bom mesmo era quando os ônibus paravam e a gente corria, se escondia e depois voltava, como se nada tivesse acontecido, pra ver as pessoas machucadas e outras procurando por quem havia atirado as pedras. A gente ainda dizia: “passou uns meninos correndo por ali!”.

Tudo isso parecia brincadeira se eu não tivesse levado tão a sério as brincadeiras de policia e ladrão. Eu acabei incorporando o lado do bandido e me tornei um autêntico criminoso. Lembro-me das vezes em que, quando ainda criança, eu ficava “arretado” quando os meninos que eram “polícia” me rendiam. Quando eu cresci, vivendo no Submundo do Sistema, fazia de tudo para que a Polícia não me prendesse e, em várias vezes, a troca de tiro era inevitável e, com o passar do tempo, era prazerosa.
 
 Aquela adrenalina era tão boa, tão prazerosa, que eu a comparava com um orgasmo. Muito bom!!   Eu já estava mesmo louco e aquelas “aventuras” eram o que eu mais gostava de fazer, que era atirar...seja lá aonde ou em quem fosse!




Lembro-me quando perdi um comparsa dentro de um carro, na troca de tiros com os “homens”. Estávamos numa fuga e demos de cara com uma viatura. Meu comparsa foi atingido fatalmente e revidamos, causando danos também na mesma proporção. Até hoje essa cena não me sai da mente. Aliás, essa e tantas outras.

Neste mesmo Ipsep perdi grandes amigos. Foi lá que comecei a perder minha saúde e minha liberdade, pelos atos insanos de uma vida louca que eu achava ser apenas brincadeira.

Aquelas noites ali na CITE (companhia inimiga do trabalho e do estudo)... Aquelas noites na Rua Fernandes Portugal, também conhecida como Rua da fumaça... Aquelas noites na Praça do Ipsep velho... Aquelas noites e mais noites em que eu e a Mãe de minha Filha mais velha passávamos em cima do terminal do ônibus da Vila do Ipsep. Passávamos, muitas vezes, à noite se drogando em cima do Terminal do ônibus. Acho até que foi ali que minha Filha foi feita, pois era ali que tínhamos relação, na maioria das vezes.

Cabe aqui dizer que ela (a Mãe desta minha Filha), também entrou pra criminalidade e hoje não temos mais notícias dela, inclusive, achamos que já a mataram, pois ela nunca passou esse tanto de tempo sem dar notícias e, mesmo que estivesse presa, como aconteceram várias vezes, certamente já teríamos conhecimento.

Saudades arretada!! Saudades daquela minha galera das antigas!!

Saudades destes que estou reencontrando aqui no Grupo Amigos do Ipsep e espero revê-los quando de minha ida aí. Saudades daqueles que jamais irei reencontrar, pois já não estão mais em nosso meio. Saudades de Fabiano galego....saudades de Marinho, lá da CITE. Saudades também daqueles meus "comparsas" do Submundo do Sistema, como os finados Roberto "Sariema", Roberval, Lula, Ruan, Romero, George, Mauro, "Pilatos", Milena, Paulo Pomba, Marcelo parceiro...  E tantos outros que se eu for falar aqui.

Saudades também daqueles que nem sei mais noticias, como Valdevino, Macrina, Lurdinha, Neto, Júnior da Lombra, "mata rato", e o velho "moreno", vendedor de doces. Ah!  Como eu gostava de encontrar “moreno”!!  Ele era torcedor fiel do melhor time do mundo, que é o Sport Clube do Recife. (risos). Bastava chegar perto dele e tecer alguns comentários de que o Sport iria ganhar, ou dizer que ele (o próprio “moreno”), jogava bem, pronto!!!!!    Ali a gente já ganhava um doce. Eu era mestre nisso. Colocava-o lá em cima. Se tivesse alguns guris jogando por perto, eu tomava a bola e dava pra “moreno” fazer umas gracinhas. Saudades do velho “moreno”.

Também tinha aquele homem que vendia cocada gritando "olha a cocaaaaaaaada!! cocadiiiiiiiiiiinha!"... quando não era ele, era os filhos(as).

Quando falo de jogo de bola, são várias as lembranças. Tenho detalhadamente algumas cenas. Lembro-me de algumas vezes em que meu Pai me levava para assistir os clássicos Pernambucanos e quando eu chegava em casa, estava dormindo, devido as bebidas que meu Pai me dava. Eu ainda criança e ele me dava bebidas e dizia que eu tinha que ser igual ao Pai. Dizia que eu tinha o mesmo nome dele e tinha que ser Homem igual a ele. Realmente eu me tornei alcoólatra igual a ele, porém, com uma diferença...e grande diferença....eu usei outras drogas e entrei no Submundo do Sistema, ao contrário dele.

Ainda falando de jogo de bola, lembro-me detalhadamente de quando criança, eu estava jogando em frente a minha casa e o vizinho disse que era para a gente não jogar ali em frente a casa dele e que se a bola batesse lá na casa dele, ele iria furar. Continuamos jogando enquanto ele lavava o carro dele. De repente, a bola bate lá e ele pega a bola e joga dentro do portão da casa dele, para o cachorro dele brincar. Eu fiquei “puto” com aquilo, por ter furado minha bola, entrei em casa, pequei uma espingarda calibre 12 que meu Pai tinha. Nessa época eu já sabia atirar, peguei a espingarda e vim de lá pra cá com o Satanás no couro. Quando o vizinho me viu, correu e o cachorro veio pra perto do portão latir para mim...não deu outra...como o vizinho não me encarou, eu atirei no cachorro, que ficou sem a cabeça.

Aquele episódio deu o que falar. Foi parar na Polícia. Mas o vizinho mudou-se e pagou minha bola. Aquilo, pra mim, era só o início de ganhar status pelo uso da força e da violência! Sucederam-se vários casos idênticos. As pisas que levei de meu Pai só me deixava mais endiabrado. Olha que meu Pai me batia cruelmente e seus castigos eram demasiado severos. Até hoje, só em lembrar, ainda sinto as dores e as penalidades.

Saudades do meu querido Pai! Saudades de nossas brincadeiras, de seus carinhos, dos presentes que ele dava pra mim e pra meus irmãos. Saudades de nossos passeios pelas praias do litoral Pernambucano. Litorais estes que, quando de minha juventude, foram palco de acampamentos & acampamentos de doideira de adicto.

Saudades do meu querido Bairro do Ipsep!!!!

Saudades das escolas que estudei...do antigo Topogígio, que posteriormente virou Santa Cecília.....do Educandário Castro Alves, do Souza Leão, do Walt Disney, Lauro Diniz, etc... Muitas destas escolas eu dei muito trabalho à Direção.

Lembro-me que numa delas eu coloquei uma bomba dentro do banheiro que o vaso sanitário ficou só os cacos. Noutra coloquei a cadeira quebrada para um professor e de repente, ele estava aplicando prova numa outra sala e quem veio foi outra professora, que estava gestante e na queda, perdeu a criança...isso deu até caso de Polícia. Lembro-me também que nesta mesma escola eu joguei removedor de tintas no carro do Diretor...ficou uma gracinha!!!!!

Saudades dos desfiles das Escolas no 7 de Setembro...do carnaval de rua....

Lembro-me quando o Ipsep estava com as Ruas cheio de canos, quando estavam fazendo o saneamento das ruas....a galera só vivia brincando por dentro dos canos....só quem lembra disso é o povo das antigas!

Ipsep...tá pertinho de voltar por aí!

Espero poder reencontrar amigos e não reencontrar inimigos. Espero poder ir e poder voltar, para contar aqui pra vocês. Espero poder ver meus Filhos e reencontrar meus Irmãos...e mais ainda, poder trazê-lo para perto de mim, para que eles possam desfrutar da mesma Dádiva que hoje eu desfruto.

Mas sei que isso vai depender muito mais deles do que de mim. A minha parte eu farei. Mais uma vez, eu farei. E farei quantas vezes se façam necessário. Entretanto, não posso fazer por ele o que somente ele pode fazer, que é evitar a primeira dose, um dia de cada vez...SÓ POR HOJE!!


Enquanto isso eu vou ficando por aqui, com minhas tristezas e alegrias, tentando compartilhar aqui com vocês.

Valeu galera do Ipsep!!

Esta minha postagem de hoje é adaptado de um texto que postei lá no Facebook, onde uma amiga minha criou um Grupo, chamado “amigos do Ipsep”, onde eu pude reencontrar amigos e amigas que há muitos eu não tinha nem notícias e atualmente cada um membro do Grupo entra e faz um comentário, onde outros comentam em seguida e com isso, podemos relembrar cada momento de nossa vida.


Abração a todos os meus queridos amigos aqui do Blog.

TAMUJUNTU.


Júnior – Um Adicto em Recuperação, Limpo, Só Por Hoje!!