Sejam Bem Vindos!

Quero agradecer, carinhosamente, pela sua visita e espero que possamos continuar partilhando experiências, as quais considero-as importantes para manutenção de minha recuperação.
Sua partilha (comentários) aqui nos Posts, bem como seguir-me quando julgares conveniente, é importante para que possamos estreitar ainda mais a nossa amizade, algo que é fundamental para um crescimento em nível de ser humano...ainda mais quando se trata de um adicto em recuperação, como eu.
Por isso, mais uma vez, muito obrigado por sua presença!
Que bom que você veio! Que bom que você me visitou!
Melhor ainda será ler seus comentários e ver-te aqui, sempre que possível, ajudando-me dia-a-dia.
Que O PODER SUPERIOR continue te concedendo o direito de reconhecer, aceitar e realizar a Vontade DELE, em todas as suas épocas e lugares, para que só assim, possas continuar desfrutando destas Dádivas de renovados dias Limpos, Serenos e repletos de Saúde e Paz!
Abraços e TAMUJUNTU.
Loading...

Siga por e-mail

terça-feira, 26 de junho de 2012

26 DE JUNHO - DIA INTERNACIONAL DE COMBATE AS DROGAS!

Olá, pessoal!
Tudo bem com vocês?
Aqui, comigo, tá tudo na paz, Graças Ao Poder Superior!
Espero que estejam também todos desfrutando de muita saúde e paz, juntamente com todos os que lhes são caro.


 
Ontem, (25/06/2012), foi um dia bacana pra mim e para muitos que participaram do II ENCONTRO MUNICIPAL DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS EM IMPERATRIZ/MA.


O evento, organizado pelo CAPSad de Imperatriz, teve a presença de representantes de vários segmentos da Sociedade, onde aproveitamos a oportunidade para dar início a reativação do Conselho Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, haja visto que o mesmo está desativado há anos.


O evento contou com a Palestra da Professora Janete Valois, que é Mestre em Psicologia Social, Supervisora Clínica-Institucional conveniada ao Ministério da Saúde e Assessora Técnica do Departamento de Atenção à Saúde Mental da Secretaria Estadual de Saúde do MA. Também teve apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelo Consultório de Rua na cidade de Imperatriz, bem como do próprio CAPSad.


 Profissionais da Saúde Mental

Foi apresentado ainda os Projetos que estão em andamento para a vinda de 04 (quatro) UAT - Unidades de Acolhimento Transitório - para a Região de Imperatriz, sendo duas delas em Imperatriz (uma adulto e uma infantil) e outras duas para cidades vizinhas aqui na Região.

Sabe-se das dificuldades de se conseguir aprovar no MS as licitações para implantação dessas Redes, haja visto os pré-requisitos para que as mesmas possam ser efetivadas. Ainda assim, por aqui o negócio tá melhorando nesse sentido.


Um dos pontos bastante discutido no evento foi o "chamamento" para que cada segmento da Sociedade pudesse participar de forma ativa nas Políticas Públicas Sobre Álcool e Outras Drogas no Município. E para enfatizar melhor ainda, exemplificando como isso funciona na prática, foi mostrado um vídeo falando sobre algumas ONG's que trabalham em rede, com parcerias de Conselhos Municipais, Ministério Público, Conselho Tutelar, Judiciário, Segurança Pública, etc.   Também foi mostrado um exemplo de uma comunidade lá no Ceará, onde se criou a Terapia Comunitária há mais de 21 anos, que tem sido resolvido 85% dos casos que chegam até lá, sendo apenas 15% encaminhado para tratamento Clínico. Uns exemplos de que, quando se quer fazer, se faz.

A propósito, faço aqui questão de postar o link para se conhecer mais sobre a TERAPIA COMUNITÁRIA, que foi criada pelo Dr. Adalberto de Paula Barreto.





Hoje, 26 de Junho, é o DIA INTERNACIONAL DE COMBATE AS DROGAS. Muitas passeatas estão acontecendo mundo a fora. Muitos Jornais certamente estão divulgando essa data e seus consequentes movimentos. Mas, os mesmos Jornais estão noticiando trágicos episódios consequentes de uso, abuso e/ou dependência de Drogas. Estes mesmos noticiários contradizem os resultados esperados por tais movimentos e nem por isso, serão os últimos a serem noticiados. Muitas Mães ainda terão que chorar muito pela perca de seu Filho, para que outros Filhos possam tem direito a Atendimento Básico à Saúde, como diz a Constituição Federal, em seu Artigo 196. Ainda teremos que derramar muitas lágrimas para que possamos ter uma Política Pública que torne, ao menos, minimizador o efeito destrutivo das Drogas na Sociedade.  Digo na Sociedade, pois no organismo mesmo, isso é impossível de acontecer, pois os efeitos das Drogas estão cada vez mais nocivo, devastador, destruidor. A todo instante surge uma nova Droga, com um potencial ainda maior. A todo instante mais um adolescente está a experimentar algo novo, para "fazer parte" da turminha, da tribo, do grupo.

Ontem, quando eu estava no evento, me acompanhava uma grande amiga minha, que é professora e também formanda em Psicanálise. Ela contava suas experiências quando em sala de aula e eu falava de como eu era quando estudava. Falava de minhas absurdas traquinagem que aprontava na escola. Narrei um fato que realmente fez um abalo enorme da época, o qual eu posso até fazer uma postagem posterior falando sobre isso. Mas o que eu quero aqui dizer é sobre o que essa minha amiga me falou sobre sua experiência  em sala de aula. Um dos fatos que ela contou foi sobre um aluno dela, (uma criança), que narrava pra ela, com certa naturalidade, como o Pai e ele faziam pra se esconder da Polícia, levando a Droga que o Pai dele traficava. Ele falava com tanta admiração que causava espanto! Isso deu-se no ano de 2008.....eu me pergunto: -Será que ele seguiu o caminho que ele tanto admirava? -Será que ele ainda continua estudando? -Como serão as experiências que ele tá narrando hoje para os professores, caso ele ainda esteja ao meno frequentando a escola? -Será que esse jovem ainda está ao menos vivo hoje?





Vou ficando por aqui, agradecendo ao carinho que tenho recebido por cada um de vocês que deixam aqui seus comentários, bem como a cada um que me manda emails e me telefonam. Confesso que essa troca de experiência me faz um bem enorme e me deixa cada dia mais alegre.

Sou feliz por nesse dia 26 de Junho, DIA INTERNACIONAL DE COMBATE AS DROGAS, eu poder dizer que estou Limpo, Só Por Hoje. Alegro-me em dizer que não usei Drogas hoje e não me fez falta alguma.







Como eu sempre digo: "O bagulho é doido....mas a Recuperação é mais doido ainda!"

Que neste dia possamos cada um de nós fazermos a diferença, engajando-nos nas Redes de Apoio, nas Políticas Públicas, nas atividades que possam levar uma melhor qualidade de vida àquele que uma hora dessa anda louco, totalmente "rodado", em busca de mais uma dose.

Que possamos fazer a nossa parte, estendendo a mão àquele que ainda sofre, independente dele ser ou não nosso parente ou amigo.

Quanto a Mãe Maria do Estado do Tocantins, que tenho comentado aqui em minhas últimas postagens.... O Processo continua parado, como na última postagem..ou seja, AGUARDANDO DEVOLUÇÃO DE CARTA PRECATÓRIA.

Já ela, a Mãe Maria.....continua aguardando.....mas aguardando um MILAGRE DE DEUS, pois o que ela não quer aguardar, mas quase recebe mesmo sem querer, é a notícia...a trágica notícia de que mataram o Filho dela, já que na semana passada quase isso acontece....ele foi espancado bastante.

Vou ficar com estas poucas palavras, expressando minha indignação pelo descaso no caso de Dona Maria. Vou ficar com estas poucas palavras, expressando meu repúdio por tantas outras Mães Marias estarem sendo desassistidas pelo Poder Público à Saúde e à Vida. Vou ficar com estas poucas palavras agradecendo à todos que de forma direta ou indireta fazer a grande diferença para que pessoas como eu esteja conseguindo alcançar mais um dia sem fazer uso de Drogas. Vou ficando com estas poucas palavras parabenizando tantos outros adictos que, como eu, estamos Limpos, Só Por Hoje.

Eu, Júnior, um adicto em Recuperação....Limpo, Só Por Hoje!

Abração e TAMUJUNTU.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

A VIDA É DE MOMENTOS...UNS BONS...OUTROS NEM TANTO!

Olá, meus queridos(as)!

Desejo estar encontrando todos com saúde e paz, ao lado daqueles que lhes são caro.

Na postagem anterior, fiz comentários sobre uma Mãe que está correndo feito louca em busca de tratamento para o filho. Até a data de hoje (18/06/2012), a última movimentação no Processo foi no dia 06/06/2012, - (AGUARDANDO CARTA PRECATÓRIA). Sei que as coisas não estão nada bem para essa Sra., pois ela continua fora de seu lar, indo vez em quando levar comida para o filho e correndo o risco de ser novamente agredida (ou até morta), pois a cada dia que se passa, o rapaz tá cada vez mais revoltado com a Mãe, por ela não estar em casa, satisfazendo os desejos e vontades dele. Um adicto, manipulador como tal, não quer, jamais, ficar sem alguém para manipular, etc, etc.

Só sei que o tempo tá se passando e a Justiça continua caminhando a passos de tartarugas.

Este final de semana eu fiz mais um retiro. Fui para o local onde levo adictos e familiares para acompanhamento individualizado. Passei um dos melhores finais de semana de minha vida. Pude ver sorrisos e mais sorrisos em rosto que há anos não desfrutavam de tamanha alegria. (Bom! Pelo menos eu acho, né?).





Subida ao morro. Meditação.
Contato direto com a natureza. 

Alimentar Araras. 

 Caminhadas pela chapada, respirando aquele ar puro do sertão.


Banho de cachoeiras! 

Quebrar tabus, fobias. 
Beber daquela água pura das nascentes. 


Dormir escutando as quedas d'águas.
 
Acordar com os cantos dos animais da Fauna. 

Olhar o Céu como ele realmente é e poder ver "bilhões" de estrelas, sem aquela claridade imensa das luzes da cidade. 


Sair um pouco da rotina estressante do dia-a-dia que nos faz ficar cada vez mais longe da Recuperação. Um final de semana assim nos aproxima mais de nós mesmo e nos faz ter a certeza de que, por mais difícil que seja o momento que estejamos vivendo, ainda assim, podemos ser felizes. Nos faz acreditar que dias melhores virão. Nos faz acreditar que o mais nos será revelado. Dias assim nos aproxima mais de nosso PODER SUPERIOR e de nós mesmo.

Em respeito aos que tiveram comigo lá, não tecerei maiores comentários, mas posso afirmar que foi magnânimo os dias em que tivemos por lá e os comentários que recebi foi, no mínimo, gratificante!

Ao chegar na cidade onde resido, logo me dei conta de que o mundo não é só aqueles momentos que estava desfrutando. O trânsito caótico logo me diz que terei que usar da SERENIDADE necessária para aceitar as buzinas infernais, as discussões banais e a lentidão de não chegar na hora certa. Isso também pode me ensinar que devo sair mais cedo, caso queira chegar no horário. Afinal, as ruas e avenidas não são minhas, né? rsrsrs


Quando meus telefones entram em área de cobertura, recebo aquelas mensagens "te ligou", entre outras. Isso significa que estou ficando a pá das situações, das coisas que estão se passando pela vida aqui do mundo real, enquanto eu estava vivendo um sonho real. E, consequentemente, logo me encontram, né? 


As ligações logo me chamam para o início de novas atividades. É o ciclo natural da sobrevivência humana. Um corre daqui, outro corre dali. Cada um se vira do seu jeito. O individualismo continua e o materialismo também. Oh, mundo capitalista, meu DEUS!!!!

Ao chegar no bairro que moro, passo pela praça que ficam moradores de rua, usuários e amigos meus. A praça fica em frente a uma grande Igreja Católica da cidade. Logo sou avistado por um dos meus "chegados" que me grita pelo meu nome conhecido das quebradas: "Eai, Gabriel!!!!".

Paro para saber o que ele quer. Já imagino que seja uma "ponta" para "interar" para comprar uma "paradinha". Para minha surpresa, não era isso o que ele queria. E para minha surpresa maior ainda, era uma trágica notícia. Um brother nosso havia falecido de uma maneira cruel. Queimado!

Certamente a morte por si só já é cruel. Não existe morte boa. Pelo menos pra mim, não existe. Tudo bem que possa ser que algumas maneiras seja menos dolorosas, menos sofredoras, etc. Mas certamente não é nada bom. Porém, morrer queimado, é foda!   Aliás, como diz um amigo meu, "é foda, não....porque foda é um negócio bom demais...morrer queimado é de se fuder!".

Esse meu brother que faleceu já foi personagem de um poster meu. Inclusive, comentei sobre a situação dele, da casa onde ele estava vivendo no tempo em que postei, onde era um local de concentração de todo tipo de gente. Tempos após minha postagem, a irmã dele derrubou a casa para que eles não ficassem se reunindo lá.


Essa família é totalmente desestruturada. Já haviam sido mortos dois irmãos envolvidos com drogas, crimes, etc. Já esse que faleceu agora, não tinha hábito de "malinar no alheio". Não gostava de praticar crimes, mas se visse algo de vacilo...

O pai é um alcoólatra e tava envolvido nesse episódio que resultou na morte deste filho queimado. Ambos já estavam sendo moradores de rua, pois viviam perambulando pelos arredores da casa das irmãs, às quais não podiam fazer mais nada, pois já haviam tentado de várias formas, mas eles não queriam aceitar ajuda....queriam apenas R$ para usar.

Há poucos meses atrás, através de ajuda de terceiros, conseguimos um Auxílio Doença para esse brother, pois o mesmo estava com hanseníase e não tinha o mínimo de interesse em se tratar. O salário dele estava todo sendo usado em drogas. A família havia alugado um quartinho para ele e o Pai morarem, mas não ficaram muitos dias lá, pois aprontavam muito e foram despejados. Uma situação realmente triste e lamentável. Mas que não se podia fazer muita coisa.

Semana passada, como eles moravam na rua, não tinha fogão, nem panela, nem nada. Resolveram fazer um café. Tiveram a "genial", a "brilhante" ideia de encher uma vasilha de álcool e cozinhar o café. Um típico arranjo de moradores de rua, que sempre têm um jeito de cozinhar.

Mas eles eram inexperientes e por estarem "doidão", nem "se ligaram" no que estava por vir.

Ao colocar o fogo no álcool, deu aquela chama imensa, aquela explosão.....o Pai estava segurando a vasilha e, ao explodir, tentou livrar-se dela, jogando-a para frente......caiu justamente no Filho, queimando-o por todo o corpo.

Ambos foram levados para o hospital. O Pai teve queimaduras nas partes íntimas. O Filho foi para UTI, com o corpo todo queimado. Não resistiu. Veio a óbito.

Minhas palavras, ao narrar este fato, são de força maior. Nem sei como estou conseguindo postar isto aqui.


Esse brother era, aqui na cidade, o meu melhor amigo adicto. Eu estava sempre indo lá visitá-lo. Sempre que eu estava na cidade, eu dava uma passadinha por lá, tentando ver como ele estava, auxiliando nos cuidados de suas doenças, motivando-o a procurar ajuda e até mesmo disponibilizando ajuda.

Cheguei a levar uma amiga minha lá, que é enfermeira. Também fui atrás, juntamente com as irmãs dele, para que ele conseguisse o Auxílio Doença. Eu sentia ele tão desprotegido. Eu via nele a figura de meus irmãos, que hoje estão morando nas ruas de Recife. Eu tinha um carinho tão grande por ele, que já cheguei a fazer insanidades pelo mesmo. Anos atrás, quando uns carinhas de outro bairro veio tirar onda no setor dele e deram umas pancadas nele, eu "corri" atrás do prejuízo e enchi um dos caras de bala. O outro "vazou" da cidade, "cabreiro".

Neste momento, se eu estou assim, arrasado, imagine como estão os familiares....

Se eu estou assim, imagine como está o Pai dele, com aquela horrível sensação de impotência, pela perda do Filho, ainda mais com aquele terrível sentimento de culpa, pois foi ele quem "jogou" a vasilha com álcool em cima do Filho, muito embora saibamos que não foi intencional, apesar que os dois sempre tinham vários desentendimentos, inclusive, agressões físicas de ambas as partes. Vez ou outra eles estava disputando porrada. Vez ou outra o Filho machucava o Pai ou vice-versa. Mas desta vez, foi acidental.

Anos atrás, quando um dos seus Filho foi assassinado, ele enveredou para o uso de drogas ilícitas, pois ele era usuário de bebidas alcoólicas. Segundo o pensamento dele, ele sentiu-se culpado pela morte do Filho, mesmo sem ele ter culpa alguma. Mas queria defendê-lo e, como não teve como, carregou (e carrega até hoje) um sentimento de culpa, tão tal que sempre está comentando que é culpado pela morte do Filho.

Agora, diante deste último episódio, imagine como ele vai ficar. Vai ficar, não.....já está.

Nestas alturas, deve tá mais louco ainda.

Isso me faz recordar da convivência que tive com meu saudoso Pai. Éramos do mesmo jeito. Vivíamos em "pé de guerra". Foi num foi, estávamos nos agredindo. Causei vários ferimentos nele e ele em mim. Carrego no corpo cicatrizes das lesões que ele me causou. Ele partiu levando as cicatrizes que eu o causei. Mas foram as cicatrizes interiores, as psicológicas, que mais machucaram. Ainda hoje carrego no peito a dor de ter agredido meu Pai. Ainda hoje sinto por ter atirado no carro dele....com ele dentro, causando a morte (posteriormente), da então esposa dele. Não que o tiro a tenha atingido, mas ela passou mal e foi socorrida, vindo, posteriormente, a óbito.

As lesões que tenho em minha alma são bem mais dolorosas que as que carrego pelo corpo. As que tenho no corpo, já não me incomodam nem mesmo pelo aspecto da estética, pois faço questão de, quanto indagado o que foi isso, eu responder claramente como foi minha insanidade. Entretanto, as que carrego na alma, essas jamais permitirão minha paz em sã consciência.

Meu brother se foi.
Meu Pai também já se foi.
Tantos outros também já partiram, deixando esse vazio que estou sentindo em outros corações....E tantos outros ainda estão, a esta hora, cavando sua própria sepultura.
Meus Irmãos, por exemplo, estão uma hora dessa, sabe-se lá onde (creio eu que em Recife/PE), fazendo sabe-se lá o que, chegando cada vez mais perto de seu fundo de poço.

Mas, como dizia um de meus Padrinhos de Recuperação: " Ao contrário do que muitos pensam, quanto mais ele cavar e quanto mais perto do fundo do poço ele tiver, mais fácil fica a Recuperação, pois só consegue se recuperar quem realmente atingir o fundo do poço.....entretanto, cada um sabe onde pode chegar....cada um sabe quando está no fundo do poço!".

Ficarei aqui torcendo pela Recuperação de cada um destes adictos que estão neste momento cavando seu fundo de poço. Ficarei aqui torcendo por cada um daquele(a) que estão uma hora dessa com um "ferro" na mão, "patolando" cidadões trabalhadores, em busca de R$ para comprar substâncias. Ficarei aqui torcendo pela vida daqueles(as) que estão neste momento tirando de casa o botijão de gás, ou a TV, para trocar na "boca" ou naqueles que financiam o tráfico. Ficarei aqui torcendo pelos meus Irmãos e pelo Filho da Mãe-Maria do Estado do Tocantins. bem como por tantos outros Filhos(as) e pelas tantas Mães Marias deste  mundão de meu DEUS!

Quero finalizar esta postagem com uma frase linda que recebi por uma familiar que estava neste final de semana lá no retiro. Acho que as palavras dela podem expressar tamanha alegria e também pode demonstrar a grandeza que é O nosso PODER SUPERIOR e o que ELE pode fazer em nossas vidas.

"ACHA VOCÊ, QUE O QUE PEDE É ALGO DIFÍCIL OU GRANDE DEMAIS EM COMPARAÇÃO COM ESTE GRANDE MUNDO, COM TUDO O QUE VIMOS ONTEM: BILHÕES DE ESTRELAS, INCONTÁVEIS GRÃOS DE AREIA E INFINITAS GOTAS DE ÁGUA?   TUDO O QUE PEDIMOS À DEUS, É UM GRÃO DE AREIA NA IMENSIDÃO DO UNIVERSO.   QUANDO VOCÊ INVOCA "SEU PODER SUPERIOR", TUDO SE TORNA MAIS FÁCIL!".

Tenham todos uma excelente semana, desfrutando de bons momentos e......
Abração e TAMUJUNTU.

Júnior - Um Adicto em Recuperação - Limpo, Só Por Hoje!!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

MÃE-MARIA DO ESTADO DO TOCANTINS

Olá, pessoal!
Tudo bem?
Espero que estejam todos desfrutando de saúde e pAAz, juntamente com todos os que lhe são caro.

Estou retornando de uma viagem ao Estado do Piauí, onde fui participar de um Encontro da Área 15 - PI, justamente coincidindo com a data de Fundação da Irmandade de Alcoólicos Anônimos (10/06/1935), que completou ontem (dia 10/06/2012) 77 anos de existência, salvando vidas pelo mundo. Vidas como a minha!

O Evento foi, simplesmente, ótimo! Magnânimo! Participação de companheiros(as) de vários Estados! Um excelente momento para compartilhar a Sobriedade e comemorar a data de aniversário de nossa Irmandade.


Durante estes dias em que fiquei sem postar, como sempre acontece, muitas coisas aconteceram e algumas eu faço questão de compartilhar aqui.

Semana passada, eu recebi a triste notícia de que haviam assassinado um amigo meu, filho de um companheiro nosso da Irmandade....Era um jovem, com apenas 19 anos, o qual eu vi crescer, acompanhei a vida árdua dos seus pais para lhe darem uma criação digna. O pai dele (que é esse meu amigo, já estava em recuperação desde seu nascimento). Tanto o pai quanto a mãe dele, deram-lhe uma criação bem dedicada, esforçando-se para que ele e o irmão mais novo não tivessem envolvimento com coisas erradas.....mas não adiantou. A Mãe dele faleceu há poucos anos e eles logo começaram a andar em companhias que lhes levaram, inevitavelmente, ao Submundo do Sistema. E, pra tristeza maior, estes dias tiraram-lhe a vida. Ceifaram-na com tiros na cabeça. Execução. Acerto de contas. 
  
Mais um para as estatísticas. Infelizmente, a escolha dele não foi a melhor, como ele pensava que seria. Tenho certeza de que ele, assim como tantos outros, não imaginava que poderia acontecer com ele. Certamente se ele tivesse a certeza de que isso iria acontecer, não teria caminhado por este caminho....Assim como eu pensava um dia, ele também pensava que isso só aconteceria com os mais otários, com os mais vacilões... Eu tive a sorte de mudar esse meu pensamento em tempo, de forma que mudei de vida, mudei de amizades, mudei até mesmo de Cidade, de Estado... Tive sorte de ser incluído nos números ainda tão pequenos dos que conseguem sair do Submundo do Sistema. Um verdadeiro Milagre do Poder Superior.

Fica aqui meus sentimentos à família enlutada.....aliás, às tantas famílias que estão neste momento chorando a perda de seus entes queridos vitimados pelos altos índices de violência relacionado ou corelacionado com as drogas.


Esta postagem aqui eu também quero fazer em cima de um descaso do caso de Maria, uma Mãe de um adicto que vem lutando, insistentemente, em busca de auxílio para tratamento de seu filho (Internação Compulsória). Ela entrou com uma ação contra o Estado do Tocantins e desde Setembro/2011 que ela aguarda um posicionamento da Justiça.. Ops!   -Será mesmo que podemos dizer JUSTIÇA?!?!?!?!?


Bom....o que eu sei é que ela entrou com uma ação na Defensoria Pública, mas até agora....nada!


Pra quem tem conhecimento, ações desta natureza (Internação Compulsória) devem ser de URGÊNCIA, sendo manifestado o Deferimento em até 72 horas. Mas, como estamos tratando de Saúde Pública no Brasil....nem precisa falar, né?  Como estamos tratando de JUSTIÇA no Brasil, pior ainda, né? Ainda mais que casos como estes não são comuns em todas as Comarcas, o que dificulta ainda mais o entendimento dos que deveriam posicionar-se favorável ao Deferimento da ação.


Acreditando nos Magistrados, essa Mãe aguarda decisão. Eu tomei conhecimento do caso e fui, juntamente com uma grande amiga, acompanhar aquela Mãe para ver o andamento do Processo. Foi triste o que vimos. Foi indignante o que escutamos. "Esta Comarca está sem Juiz!!"


Sinceramente!   Eu não tenho mais nem o que falar. As lágrimas descem ao relembrar daquelas cenas em que aquela Mãe chorava sem saber o que fazer. Eu olhava pra ela e via a minha Mãe. Lembrei-me das vezes em que eu estava fazendo com Mainha o que aquele filho estava fazendo com aquela Mãe. Violência ao extremo. Desalojamento, fazendo-a abandonar o lar.  ......choro ao lembrar da cena... Choro ao lembrar de meu passado... remorso....muito remorso!!

Não irei tecer mais comentários neste Post sobre o opisódio.... Pelo menos não com minhas palavras. Mas quero aqui transcrever as palavras desta minha grande amiga, também irmã, esposa, namorada e amiga de adicto, sobre o que ela viu e sentiu ao tomar conhecimento do caso e acompanhar essa Mãe Maria, do Estado do Tocantins.

Segue na íntegra o texto dela...

Abração a todos e TAMUJUNTU.



MÃE-MARIA DO ESTADO DO TOCANTINS

Há uma letra musical que diz: “o pensamento parece uma coisa à toa, mas como é que a gente voa quando começa a pensar?” É desta forma, que se encontrava depois de mais uma manhã de trabalhos escritos, a mente de uma, pode se dizer, educadora escritora. Mas, basta que esta vivencie uma nova situação, para que sua alma recrute novamente seu pensamento perdido e a faça voltar a voar. Assim, aconteceu numa quente manhã de quarta-feira, mês junho, quando uma ação emotiva e inesperada, faz com que esse alguém deixe de cumprir suas rotinas domésticas para vivenciar outra rotina, que mesmo longe da sua, em aspectos geográficos e culturais, encontrava-se mais presente e semelhante do que um dia ela- esse alguém- pudesse imaginar.

Ao deixar suas ações do dia a dia e embarcar rumo ao “desconhecido comum”, - isso mesmo, desconhecido comum – a educadora entrega-se completamente à situação que lhe foi presenteada e permite-se contemplar, sensibilizar, refletir e indignar com o estado físico e emocional de um ser humano simples, bem mais simples do que ela, mas com a mesma vivência e sensibilidade: tratava-se de mais uma Mãe-Maria, que perdeu seu filho para as drogas.
 
Maria e seu filho vivem no Estado do Tocantins, são membros de uma família pobre, com pouquíssimos ou nenhum recurso educacional, financeiro e cultural.


A mãe, completamente perdida entre informações incompletas e ajudas duvidosas, via-se a cada amanhecer, mais destruída e desesperada com a situação que se encontrava seu filho caçula de 25 anos, que ao ingerir bebida alcoólica e fazer uso de outras drogas, agredia-a e a expulsava de sua própria residência, deixando-a na rua sem auxílio algum.
Dona Maria, com a pouca informação que tem, chegou aos grupos de apoio A.A. e NA, e nestes, pode orientar-se em busca de uma vida melhor para si e para seu filho. Contudo, Maria encontrou diversas barreiras ao se deslocar em busca de tal melhoria. A principal, a que se chama Justiça, foi a que mais machucou os sonhos, a esperança e a dignidade dessa mãe, porque o meio social dessa senhora - familiares, vizinhos, amigos – estavam alheios à situação, só restando-lhe verdadeiramente a Justiça como a redentora de seu problema.

E a escritora continuava aos passos de Mãe-Maria, acompanhando-a de longe, vendo-a sair de um Órgão Público para outro (Defensoria, Fórum) com os olhos sofredores transbordando de tristeza, medo e dúvida, porém, com Fé de que seu filho possa ser rapidamente internado em uma Instituição para dependentes químicos – mesmo com a lentidão que se encontra o processo já feito e entregue à Justiça - pois a maior angústia de Maria não está nas agressões do filho a ela, mas sim no pavor de que, na manhã seguinte, ele não volte com vida para casa. A escritora compreendia o dilema e entendia o que se passava na alma da mãe, porém esta, nem ao menos suspeitava o que se passava na alma da escritora, que não era mãe de um dependente químico, mas era irmã, esposa, namorada e amiga. Mulher que também teve seus objetivos muitas vezes destruídos e seus sentimentos mais íntimos e honestos muitas vezes desqualificados, tornando-a um ser frágil, frio e inseguro, que voa quando começa a pensar.

A esperança é um quadro que pintamos no peito em um estranho formato, distorcido talvez, e mesmo com tamanha distorção, esse quadro é real; pois pode ser sentido, visto e às vezes até ouvido. Mas, depois de ser criado por nós, sempre que tentamos tocá-lo, alguém ou algo o faz fugir de nosso alcance. É doloroso, podendo ser até fatal!

Diante dessa dor, deixa-se uma súplica aos Órgãos Públicos Judiciais do Estado do Tocantins: não permitam que Dona Maria perca a esperança de ter seu filho tratado e de volta em casa aos seus cuidados!! Não permitam que essa mãe desista do amanhã e passe a concordar com uma nova tristeza, sabendo que a Justiça foi embora e pretende nunca mais voltar, e para sempre, essa mãe viverá nesse pesadelo do amanhã, assim como está vivendo nossa tão sonhadora e sentimental escritora.

(Uma Codependente)