Sejam Bem Vindos!

Quero agradecer, carinhosamente, pela sua visita e espero que possamos continuar partilhando experiências, as quais considero-as importantes para manutenção de minha recuperação.
Sua partilha (comentários) aqui nos Posts, bem como seguir-me quando julgares conveniente, é importante para que possamos estreitar ainda mais a nossa amizade, algo que é fundamental para um crescimento em nível de ser humano...ainda mais quando se trata de um adicto em recuperação, como eu.
Por isso, mais uma vez, muito obrigado por sua presença!
Que bom que você veio! Que bom que você me visitou!
Melhor ainda será ler seus comentários e ver-te aqui, sempre que possível, ajudando-me dia-a-dia.
Que O PODER SUPERIOR continue te concedendo o direito de reconhecer, aceitar e realizar a Vontade DELE, em todas as suas épocas e lugares, para que só assim, possas continuar desfrutando destas Dádivas de renovados dias Limpos, Serenos e repletos de Saúde e Paz!
Abraços e TAMUJUNTU.
Loading...

Siga por e-mail

segunda-feira, 11 de junho de 2012

MÃE-MARIA DO ESTADO DO TOCANTINS

Olá, pessoal!
Tudo bem?
Espero que estejam todos desfrutando de saúde e pAAz, juntamente com todos os que lhe são caro.

Estou retornando de uma viagem ao Estado do Piauí, onde fui participar de um Encontro da Área 15 - PI, justamente coincidindo com a data de Fundação da Irmandade de Alcoólicos Anônimos (10/06/1935), que completou ontem (dia 10/06/2012) 77 anos de existência, salvando vidas pelo mundo. Vidas como a minha!

O Evento foi, simplesmente, ótimo! Magnânimo! Participação de companheiros(as) de vários Estados! Um excelente momento para compartilhar a Sobriedade e comemorar a data de aniversário de nossa Irmandade.


Durante estes dias em que fiquei sem postar, como sempre acontece, muitas coisas aconteceram e algumas eu faço questão de compartilhar aqui.

Semana passada, eu recebi a triste notícia de que haviam assassinado um amigo meu, filho de um companheiro nosso da Irmandade....Era um jovem, com apenas 19 anos, o qual eu vi crescer, acompanhei a vida árdua dos seus pais para lhe darem uma criação digna. O pai dele (que é esse meu amigo, já estava em recuperação desde seu nascimento). Tanto o pai quanto a mãe dele, deram-lhe uma criação bem dedicada, esforçando-se para que ele e o irmão mais novo não tivessem envolvimento com coisas erradas.....mas não adiantou. A Mãe dele faleceu há poucos anos e eles logo começaram a andar em companhias que lhes levaram, inevitavelmente, ao Submundo do Sistema. E, pra tristeza maior, estes dias tiraram-lhe a vida. Ceifaram-na com tiros na cabeça. Execução. Acerto de contas. 
  
Mais um para as estatísticas. Infelizmente, a escolha dele não foi a melhor, como ele pensava que seria. Tenho certeza de que ele, assim como tantos outros, não imaginava que poderia acontecer com ele. Certamente se ele tivesse a certeza de que isso iria acontecer, não teria caminhado por este caminho....Assim como eu pensava um dia, ele também pensava que isso só aconteceria com os mais otários, com os mais vacilões... Eu tive a sorte de mudar esse meu pensamento em tempo, de forma que mudei de vida, mudei de amizades, mudei até mesmo de Cidade, de Estado... Tive sorte de ser incluído nos números ainda tão pequenos dos que conseguem sair do Submundo do Sistema. Um verdadeiro Milagre do Poder Superior.

Fica aqui meus sentimentos à família enlutada.....aliás, às tantas famílias que estão neste momento chorando a perda de seus entes queridos vitimados pelos altos índices de violência relacionado ou corelacionado com as drogas.


Esta postagem aqui eu também quero fazer em cima de um descaso do caso de Maria, uma Mãe de um adicto que vem lutando, insistentemente, em busca de auxílio para tratamento de seu filho (Internação Compulsória). Ela entrou com uma ação contra o Estado do Tocantins e desde Setembro/2011 que ela aguarda um posicionamento da Justiça.. Ops!   -Será mesmo que podemos dizer JUSTIÇA?!?!?!?!?


Bom....o que eu sei é que ela entrou com uma ação na Defensoria Pública, mas até agora....nada!


Pra quem tem conhecimento, ações desta natureza (Internação Compulsória) devem ser de URGÊNCIA, sendo manifestado o Deferimento em até 72 horas. Mas, como estamos tratando de Saúde Pública no Brasil....nem precisa falar, né?  Como estamos tratando de JUSTIÇA no Brasil, pior ainda, né? Ainda mais que casos como estes não são comuns em todas as Comarcas, o que dificulta ainda mais o entendimento dos que deveriam posicionar-se favorável ao Deferimento da ação.


Acreditando nos Magistrados, essa Mãe aguarda decisão. Eu tomei conhecimento do caso e fui, juntamente com uma grande amiga, acompanhar aquela Mãe para ver o andamento do Processo. Foi triste o que vimos. Foi indignante o que escutamos. "Esta Comarca está sem Juiz!!"


Sinceramente!   Eu não tenho mais nem o que falar. As lágrimas descem ao relembrar daquelas cenas em que aquela Mãe chorava sem saber o que fazer. Eu olhava pra ela e via a minha Mãe. Lembrei-me das vezes em que eu estava fazendo com Mainha o que aquele filho estava fazendo com aquela Mãe. Violência ao extremo. Desalojamento, fazendo-a abandonar o lar.  ......choro ao lembrar da cena... Choro ao lembrar de meu passado... remorso....muito remorso!!

Não irei tecer mais comentários neste Post sobre o opisódio.... Pelo menos não com minhas palavras. Mas quero aqui transcrever as palavras desta minha grande amiga, também irmã, esposa, namorada e amiga de adicto, sobre o que ela viu e sentiu ao tomar conhecimento do caso e acompanhar essa Mãe Maria, do Estado do Tocantins.

Segue na íntegra o texto dela...

Abração a todos e TAMUJUNTU.



MÃE-MARIA DO ESTADO DO TOCANTINS

Há uma letra musical que diz: “o pensamento parece uma coisa à toa, mas como é que a gente voa quando começa a pensar?” É desta forma, que se encontrava depois de mais uma manhã de trabalhos escritos, a mente de uma, pode se dizer, educadora escritora. Mas, basta que esta vivencie uma nova situação, para que sua alma recrute novamente seu pensamento perdido e a faça voltar a voar. Assim, aconteceu numa quente manhã de quarta-feira, mês junho, quando uma ação emotiva e inesperada, faz com que esse alguém deixe de cumprir suas rotinas domésticas para vivenciar outra rotina, que mesmo longe da sua, em aspectos geográficos e culturais, encontrava-se mais presente e semelhante do que um dia ela- esse alguém- pudesse imaginar.

Ao deixar suas ações do dia a dia e embarcar rumo ao “desconhecido comum”, - isso mesmo, desconhecido comum – a educadora entrega-se completamente à situação que lhe foi presenteada e permite-se contemplar, sensibilizar, refletir e indignar com o estado físico e emocional de um ser humano simples, bem mais simples do que ela, mas com a mesma vivência e sensibilidade: tratava-se de mais uma Mãe-Maria, que perdeu seu filho para as drogas.
 
Maria e seu filho vivem no Estado do Tocantins, são membros de uma família pobre, com pouquíssimos ou nenhum recurso educacional, financeiro e cultural.


A mãe, completamente perdida entre informações incompletas e ajudas duvidosas, via-se a cada amanhecer, mais destruída e desesperada com a situação que se encontrava seu filho caçula de 25 anos, que ao ingerir bebida alcoólica e fazer uso de outras drogas, agredia-a e a expulsava de sua própria residência, deixando-a na rua sem auxílio algum.
Dona Maria, com a pouca informação que tem, chegou aos grupos de apoio A.A. e NA, e nestes, pode orientar-se em busca de uma vida melhor para si e para seu filho. Contudo, Maria encontrou diversas barreiras ao se deslocar em busca de tal melhoria. A principal, a que se chama Justiça, foi a que mais machucou os sonhos, a esperança e a dignidade dessa mãe, porque o meio social dessa senhora - familiares, vizinhos, amigos – estavam alheios à situação, só restando-lhe verdadeiramente a Justiça como a redentora de seu problema.

E a escritora continuava aos passos de Mãe-Maria, acompanhando-a de longe, vendo-a sair de um Órgão Público para outro (Defensoria, Fórum) com os olhos sofredores transbordando de tristeza, medo e dúvida, porém, com Fé de que seu filho possa ser rapidamente internado em uma Instituição para dependentes químicos – mesmo com a lentidão que se encontra o processo já feito e entregue à Justiça - pois a maior angústia de Maria não está nas agressões do filho a ela, mas sim no pavor de que, na manhã seguinte, ele não volte com vida para casa. A escritora compreendia o dilema e entendia o que se passava na alma da mãe, porém esta, nem ao menos suspeitava o que se passava na alma da escritora, que não era mãe de um dependente químico, mas era irmã, esposa, namorada e amiga. Mulher que também teve seus objetivos muitas vezes destruídos e seus sentimentos mais íntimos e honestos muitas vezes desqualificados, tornando-a um ser frágil, frio e inseguro, que voa quando começa a pensar.

A esperança é um quadro que pintamos no peito em um estranho formato, distorcido talvez, e mesmo com tamanha distorção, esse quadro é real; pois pode ser sentido, visto e às vezes até ouvido. Mas, depois de ser criado por nós, sempre que tentamos tocá-lo, alguém ou algo o faz fugir de nosso alcance. É doloroso, podendo ser até fatal!

Diante dessa dor, deixa-se uma súplica aos Órgãos Públicos Judiciais do Estado do Tocantins: não permitam que Dona Maria perca a esperança de ter seu filho tratado e de volta em casa aos seus cuidados!! Não permitam que essa mãe desista do amanhã e passe a concordar com uma nova tristeza, sabendo que a Justiça foi embora e pretende nunca mais voltar, e para sempre, essa mãe viverá nesse pesadelo do amanhã, assim como está vivendo nossa tão sonhadora e sentimental escritora.

(Uma Codependente)

6 comentários:

  1. Belíssimo texto! Adorei!
    Já estávamos com saudade de você!
    Um beijo no coração e contínuos bons momentos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TAMUJUNTU, Gaby!
      Bons momentos pra vc tb, minha amiga!
      Bjos no coração!

      Excluir
  2. Oh sumido!!! Sera que foi que abandonei seu blog, ou você que não posta mais???
    kkkkkkk
    Deve ter sido muito legal o encontro, que você foi participar...

    Sobre os dois casos, infelizmente é assim que acontece neh!!! Muito triste saber de mais uma morte, pelo mesmo motivo... Aqui onde moro a coisa tá horrivel... o índice de homicídio está alarmante... e praticamente todos é pelo tal acerto de contas...

    Só nos resta rezar... Rezar para Deus confortar tantos familiares, que perdem ente queridos...
    Rezar pra essa mãe e tantas outras que passam pela dificuldade de conseguir internar o seu filho...

    Rezar... e Rezar...

    Força e Fé sempre!!

    Beijos Tamo juntos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk
      Quer dizer que fui eu quem te abandonei, foi??
      kkkk
      Foi não......foi?
      rrsrs
      Minha querida amiga Maria.....saudades de ti, minha linda!
      Realmente o encontro foi muito legal. O que não é legal são estas situações que postei e vc comentou, né?
      Mas como vc mesma falou, só nos resta rezar e rezar e rezar e rezar........e rezar...
      Abração, minha querida!
      Bons momentos e.....TAMUJUNTU.

      Excluir
  3. Caroo companheirooo, quantaaasss saudaadess!
    Seus posts são motivadores, é deslumbrantes lê-los.

    Mas é triste ler sobre a injustiça de nosso país, é revoltante. O Brasil move fundos para qualquer coisa, quando se trata de adicção, pode esquecer.
    Mas, tenho fé em Deus, que algo sobrenatural há de acontecer nessa justiça, e creio também que os dias de lágrimas dessa mãe hão de cessar!!!

    Forteee abraçooooo!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  4. Querida Mari, saudações!
    Só mesmo algo sobrenatural poderá modificar os rumos, as diretrizes das políticas sobre drogas neste País. Eu nem digo nessa justiça, pois abrange muito mais que as políticas públicas sobre drogas. Só mesmo algo sobrenatural para modificar essa realidade nossa, que é mesmo triste e revoltante.
    Agradeço suas palavras, pelo carinho e desejo-lhe bons momentos.
    Abração e TAMUJUNTU.

    ResponderExcluir