Sejam Bem Vindos!

Quero agradecer, carinhosamente, pela sua visita e espero que possamos continuar partilhando experiências, as quais considero-as importantes para manutenção de minha recuperação.
Sua partilha (comentários) aqui nos Posts, bem como seguir-me quando julgares conveniente, é importante para que possamos estreitar ainda mais a nossa amizade, algo que é fundamental para um crescimento em nível de ser humano...ainda mais quando se trata de um adicto em recuperação, como eu.
Por isso, mais uma vez, muito obrigado por sua presença!
Que bom que você veio! Que bom que você me visitou!
Melhor ainda será ler seus comentários e ver-te aqui, sempre que possível, ajudando-me dia-a-dia.
Que O PODER SUPERIOR continue te concedendo o direito de reconhecer, aceitar e realizar a Vontade DELE, em todas as suas épocas e lugares, para que só assim, possas continuar desfrutando destas Dádivas de renovados dias Limpos, Serenos e repletos de Saúde e Paz!
Abraços e TAMUJUNTU.
Loading...

Siga por e-mail

terça-feira, 20 de setembro de 2011

ASSISTINDO O "PROFISSÃO REPÓRTER", REVIVI MEU PASSADO!

Acabei de assistir o Programa "Profissão Repórter" e foi como se tivesse ido novamente ao meu passado, vivendo aqueles momentos de ativa.

Olhei aquelas crianças internadas...vi a história daquele menor que havia sido internado a força e estava todo alegre, bem mais forte, mas que ainda carregava as marcas da adicção ativa pelo corpo...ainda tinha uma certa rejeição da família, pois não havia visitas regulares, nem ao menos atendiam os telefonemas da Unidade de Tratamento.
Dos quinze intermos, naquele dia, apenas dois receberam visitas.
Talvés quem esteja lendo isso aqui, não tenham noção do que é receber uma visita quando se está numa situaçao daquelas. E muitas vezes, pior do que não receber visitas, é receber algumas justificativas de nossos familiares, tentando nos convencer de que não é possível nos visitar, por motivos tipo " não posso faltar o serviço".

Vi aquela jovem "Marina", que fez todo um procedimento de rejeição pra entrar no tratamento, tentando fumar seu "último" cigarro antes de entrar, tentando criar ali mais um motivo para não entrar no mesmo. A história dela é bem semelhante a minha, pois eu fiz isso muuuuuitas vezes. Inventei muitas desculpas pra não entrar. Sem falar das vezes que estava tudo pronto pra ir, aí, horas antes de ir, eu inventava de ir "fumar um", somente um, dizendo pra mim mesmo que ia ser a "despedida".....de repente, nem voltava mais. A família, mais uma vez, enlouquecia! Era um outro desespero!
A história de Marina, pelo menos na reportagem, acabou com mais uma internação, sendo a sexta dela. Isso mostra o quanto é complicado essa questão de conseguir se recuperar. Eu, por exemplo, passei por dezenas delas....umas de forma espontânea, outras por Encaminhamento Judicial.


Vi aquele Senhor que acabara de sair da Clínica, terminando seu tratamento, retornando as atividades profissionais e ao convívio familiar, onde estava há tempos sem falar com seu filho.....lembrei-me de meu Pai. Ficamos muitos anos sem nos falarmos. Ele também teve problemas com alcoolismo. Desestruturou toda nossa família. Juntando com os filhos, que éramos todos drogados....pronto!


Vi aquela Mãe, a Rosimere, que tem quatro filho DQ....lembrei de Mainha, que teve os seus quatro filho usuários de drogas. Agora vocês imaginem.....ter um filho dependente químico já é um problema, imagine ter todos os seus quatro filho dependentes químicos?

Hoje minha Mãe está passando ainda por uns momentos difíceis...muito difícil mesmo pra ela. Mesmo que eu esteja bem e um outro irmão nosso também está bem, (aliás, ela hoje está morando com este meu irmão, que é casado e mora na Bahia), ainda assim, ela tem que aceitar a realidade de seus dois outros filhos estarem nas ruas de Recife/PE, largado nas drogas e no Submundo do Sistema.
Hoje mesmo eu falei com um brother meu, que contou que a situação destes meus irmão não está nada boa. Pedi que ele não deixasse eles passarem fome. Ele disse que sempre ajuda eles e outras pessoas também fazem o mesmo, mas disse que eles não estão querendo ajuda, não. Disse ainda que, quando ele fala de mim pra eles, eles ficam brabo e não querem nem conversar sobre o assunto.
Eu estou querendo ir este mês que vem lá, tentar resgatá-los, mas já sei que não será uma tarefa fácil.
Pra mim, é bem complicado isso, pois já tentei de várias formas ajudá-los, mas eles sempre estão voltando aquela vida. Um destes meus irmãos, eu até já trouxe ele para morar comigo por duas vezes, mas ele sempre volta pras ruas. Este ano mesmo, já levamos ele pra morar com meu irmão lá na Bahia, internamos ele, mas ele não passou mais que uma semana.
Hoje eu lido diretamente com estas questões, tanto no CAPS AD, quanto na Comunidade Terapêutica, e poderia conseguir facilmente uma vaga para ele. Sem falar que estou fazendo acompanhamento dos resultados de substâncias que são usadas no tratamento de DQ, e poderia até ver esta possibilidade de encanminhá-los para tal, mas isso depende somente deles...infelizmente não depende de mim. O que depende mesmo de mim, é aceitar esta situação, entender que não posso mudar eles, mas posso mudar a mim mesmo; o que cabe a mim é viver e deixar os outros viverem, mesmo que seja um processo difícil demais este desligamento emocional.

Eu hoje vou ter dificuldades para dormir...são 00:49hs e eu preciso acordar cedo, mas já me conheço e sei que não vai ser fácil dormir, pois sempre que falo sobre a minha família, fico horas e mais horas "castelando" em como eles devem estar nessas horas. Fico aqui me lembrando deles, "castelando" em onde eles devem estar neste momento. Enquanto eu estou aqui na minha casa, deitado em minha cama, onde será que eles estão essa hora? Será que eles já jantaram? Será que estão sentindo alguma coisa, tipo, dor, etc?
Hoje eu passei o dia todo com um mal estar, provavelmente algo que comi e não fez boa digestão. Isso me deixou o dia todo ruim...mas eu tenho aqui acesso a médicos, etc. Mas, e meus irmãos? Como eles estão? Onde eles estão? Eu que comi coisa boa, saudável, passei mal, imagine eles que eu soube que estava catando lixo?



Desculpem, mas estou impossibilitado de continuar este Post.


TAMUJUNTU.

4 comentários:

  1. Poxa amigo... preocupação é algo natural e incontrolável ao se tratar de quem amamos... Mas como você mesmo disse no post, não há nada que possa fazer se eles não quiserem, infelizmente, a realidade é essa...
    Mas tenho fé que esse sentimento deles não durará para sempre, sempre ocorre o despertar...Mas cada um no seu tempo, continue orando, continue ajudando as outras pessoas, que assim você estará plantando o seu caminho de felicidade, e a hora de colher os frutos chegará.
    Meu namorado, assistiu essa reportagem, e ela também mexeu muito com ele, me ligou agoniado, com medo, mas graças a Deus, passou...
    Estamos sempre juntos viu???
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. te amo amigo, só posso dizer que imagino a dor que vc sente, imagino porque a realidade da minha familia é diferente.
    Precisando... tamu junto!

    ResponderExcluir
  3. Aquela reportagem mexeu com todos que assistiram, Gaby. Até mesmo lá na CT onde faço parte da equipe técnica, todos eles ficaram emocionados. O mesmo aconteceu na casa de um brother meu, onde sempre se reune uma galera pra "fazer a cabeça", e todos assistiram e ficaram também totalmente emocionado com o drama, inclusive, um deles, no momento em que eu estava tentando durmir, me ligou dizendo que queria que eu ajudasse ele, conseguisse uma vaga pra ele.
    Realmente uma reportagem daquela só não mexe mesmo com um tipo de pessoa...aquelas que tem interesse nas desgraças alheias.

    Cicie...valeu, amiga!
    Sei que vc imagina minha dor. Realmente não temos como dimencionar os sentimentos alheios, mas podemos imaginar, até mesmo esta minha dor é parte da sua, né? Estamos sempre sofrendo do mesmo problema, pois quando se trata de Adicção, um DQ na família já nos trás uma dor imensa.
    Valeu, amiga!

    Abração, Gaby! Abração, Cicie!
    TAMUJUNTU

    ResponderExcluir
  4. Engraçado a vida é mesmo uma caixinha de surpresa..
    Assisti esse programa e chorei horrores,muito triste...
    Sei exatamente o q vc sentiu,vc é tão ligado a sua família creio que essa é mais uma afinidade a qual nos aproximou..
    Estarei sempre orando por vc e por toda sua família...
    Beijão1

    ResponderExcluir