Sejam Bem Vindos!

Quero agradecer, carinhosamente, pela sua visita e espero que possamos continuar partilhando experiências, as quais considero-as importantes para manutenção de minha recuperação.
Sua partilha (comentários) aqui nos Posts, bem como seguir-me quando julgares conveniente, é importante para que possamos estreitar ainda mais a nossa amizade, algo que é fundamental para um crescimento em nível de ser humano...ainda mais quando se trata de um adicto em recuperação, como eu.
Por isso, mais uma vez, muito obrigado por sua presença!
Que bom que você veio! Que bom que você me visitou!
Melhor ainda será ler seus comentários e ver-te aqui, sempre que possível, ajudando-me dia-a-dia.
Que O PODER SUPERIOR continue te concedendo o direito de reconhecer, aceitar e realizar a Vontade DELE, em todas as suas épocas e lugares, para que só assim, possas continuar desfrutando destas Dádivas de renovados dias Limpos, Serenos e repletos de Saúde e Paz!
Abraços e TAMUJUNTU.
Loading...

Siga por e-mail

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

A DEPENDÊNCIA QUÍMICA E A FAMÍLIA DO ADICTO.

Saudações à todos(as)!

Espero estar encontrando-lhes desfrutando de saúde, paz, sobriedade e serenidade.

Eu estou maravilhosamente bem. Tenho passado por momentos não tão fácies, mas reconheço que são necessários para o crescimento e os encaro como oportunidade de superação. Desta forma, aceito as coisas que não posso modificar e as coisas automaticamente tornam-se belas.

Pessoal... Diante da experiência vivida... diante dos anos de adição ativa e dos anos em recuperação... diante dos anos em que atuo na área de tratamento e recuperação de dependentes químicos... "me fez entender melhor algumas questões sobre a dependência química. Como por exemplo, que as causas desta situação são múltiplas. Onde observa-se que a maior preocupação das famílias é saber quem foi o culpado do 'desencaminhamento' do filho, ou 'erro' na educação do filho." ...Me fez entender que o tratamento deve ser personalizado e não generalizado, etc.

"Isso têm uma forte carga emocional. E muitas vezes a família procura dessa forma aliviar o próprio sentimento de culpa e suas ansiedades."

"A dependência química resulta de um desejo incomensurável de fugir ou experimentar algo não alcançável sem elas. Neste estágio, a droga passa a ser imprescindível para o indivíduo, seja do ponto de vista físico ou psicológico."

"A dependência química se caracteriza pela ausência do controle e da capacidade de discernimento sobre seus atos."

"A maioria das pessoas que consomem bebidas alcoólicas não se torna alcoólatra (dependente de álcool). Isso também é válido para grande parte das outras drogas. De maneira geral, as pessoas que experimentam drogas o fazem por curiosidade ou por outros motivos e as utilizam apenas uma vez ou outra (uso experimental). Muitas passam a usá-las de vez em quando, de maneira esporádica (uso ocasional), sem maiores consequências na maioria dos casos. Apenas um grupo menor (mas que são milhões de pessoas) passa a usar drogas de forma intensa, em geral quase todos os dias, com consequências danosas (dependência)."

"0 grande problema é que não dá para saber, entre as pessoas que começam a usar drogas, quais serão apenas usuários experimentais, quais serão ocasionais e quais se tornarão dependentes."

"E importante lembrar, porém, que o uso, ainda que experimental, pode vir a produzir danos a saúde da pessoa."

"É por isto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece que a dependência química é uma doença progressiva, incurável e fatal. Ela, porém, é passível de tratamento."

"Age silenciosamente, debilitando a parte física, espiritual e emocional das pessoas. Tem como característica peculiar, alastrar seus efeitos para toda a família."
                                     
"A família exerce sem dúvida papel preponderante e têm servido de motivação constante no processo de recuperação do dependente químico. Porém sabe-se que os atendimentos limitam-se ao dependente, quando deveriam alcançar toda a família, já que é ela que serve de suporte para o tratamento e é considerada como um 'porto seguro'."

"A ausência de políticas públicas articuladas e integradas para atender as famílias nessa área, também contribui para o agravamento da situação. A implementação e acompanhamento efetivo destas, com certeza contribuiria para a melhoria da qualidade de vida das famílias que têm problemas com a dependência química."

"0 Estado pouco faz para dar melhores condições de vida à família".

"Com o advento da Constituição Federal de 1988, esta realidade pareceu se alterar. Houve algumas conquistas em relação aos direitos da família. Como exemplo pode-se citar o art. 226 que afirma que – "A família é a base da sociedade, e tem especial proteção do Estado". No art. 227, estão elencados os direitos da criança e do adolescente bem como da Convivência familiar e Comunitária. Com certeza, estas garantias estabelecidas na Carta Magna do pais, foram um marco importante na luta pelos direitos do cidadão, da família e contra as desigualdades sociais vigentes."

"O Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA, determina no Art. 19 que 'Toda criança ou adolescente tem direito a ser criado e educado no seio da sua família e, excepcionalmente, em família substituta, assegurada a convivência familiar e comunitária, em ambiente livre da presença de pessoas dependentes de substâncias entorpecentes'."    ...(Isto, na teoria é lindo demais, mas na prática, é horrível).

"O ECA também aponta medidas de proteção, de orientação, de apoio e até a inclusão da família em programas de auxilio. Mas infelizmente estes programas em geral inexistem ou se existem, encontra-se de tal forma desarticulados e tão pouco apoiados técnica e financeiramente, que seus efeitos são pífios".

Vejam bem... 

"As famílias, quando vão até uma instituição é porque não têm mais a quem recorrer. Buscam a resolução de conflitos. Porém, os programas estão voltados para o atendimento do indivíduo, não considerando o contexto familiar e a relação dos problemas do indivíduo com a família. Não possibilitam assim, dar sustentabilidade para que as problemáticas familiares não cheguem a situações consideradas limites."

"Esta doença (dependência química), não afeta somente a vida do dependente. Afeta também, a vida de todos os envolvidos, em especial, a da família. Ou seja, toda a família adoece, porque os relacionamentos tornam-se difíceis e tensos, acabando com a harmonia no lar. Com isto, a família se desarticula e os valores familiares, humanos e morais perdem espaço para violências de toda ordem, inclusive sexuais."

"Este processo culmina com a separação dos pais, saída de casa dos filhos e do próprio dependente. Em outras palavras, resulta na desintegração total da família e da integridade humana e social dos seus membros. Por isto, inicialmente a maioria dos pais não aceitam a ideia de que seu filho possa ser um usuário. Estão presos à ideia de que isto só acontece com os outros. Quando aparecem as primeiras evidencias do envolvimento de seus filhos com as drogas, muitos pais acham que é "coisa da juventude, e que mais tarde deixarão as drogas.”  - Infelizmente, na maioria dos casos, estão enganados."


"Quando finalmente descobrem e reconhecem que seus filhos estão nas drogas, sentem-se culpados. Acham que falharam na educação de seus filhos. Então começam a dialogar entre si. Agora não só o dependente está doente, e sim, toda a família. Todos precisam de auxilio."

Enquanto que a Constituição Federal vem com textos lindos, dando segurança e proteção à família, porém, fica só mesmo nos textos, na teoria, em contrapartida, as drogas e suas consequências vem sem texto algum, sem dizer nada, apenas se infiltrando na sociedade, começando no meu lar, no seu lar, em quase todos os lares e arruinando toda família e tirando toda paz, toda dignidade, todo respeito, todos os direitos e deveres dos cidadãos e cidadãs.

Se você que acabou de ler esta postagem está com um familiar com problemas com drogas, não espere que ele(a) peça ou procure ajuda, nem tão pouco espere que o Poder Público faça alguma coisa: vá agora mesmo procurar ajuda para você!  Possar ser que estejas tão ou mais doente que seu familiar.  Enquanto que o problema dele(a) é a inabilidade de lidar com o uso de drogas, o seu problema é a inabilidade de manter e nutrir relacionamentos com ele(a) e consigo mesmo(a).

Espero você aqui em nossa próxima postagem!
Até lá, vamos nos manter sem fazer uso de drogas?
Se você gosta de tomar uma cervejinha ou uma dose pequena durante o dia, que tal evitar o primeiro gole até o nosso próximo encontro aqui no blog?
Ainda gostas de fumar um baseado?  Que tal deixar dar uns pegas somente na próxima postagem?
Você que fuma um cigarrinho industrializado e tals.... estás achando que não estás usando drogas?   Estás enganado, meu amigo, minha amiga!  Mas eu lhe convido à evitar o primeiro trago até a nossa próxima postagem! Que tal? Aceita?

Para alivio de vocês, afirmo duas coisas:
1 - Podem até estarem achando difícil conseguir atingir o objetivo proposto, mas é bem mais fácil de que imaginas. Basta trabalhar no momento presente, sem se preocupar com o tempo. Basta não ficar querendo que o tempo passe rápido. Basta não se preocupar quando será que eu farei a próxima postagem e nem ficar imaginando que é um tempo longo demais sem fazer uso. Quando uma hora for muito tempo sem fazer uso, fique apensas 20 minutos e após conseguir, renove-o por mais 20 minutos. E se 20 minutos forem muito tempo, fique 5 minutos e depois renove-o por mais 5 minutos. Funciona!!!

2- Para que não fiquem tão ansiosos, prometo que retornarei aqui o quanto antes que vocês imaginam. Do mesmo modo em que vocês estão pensando "será que eu vou conseguir?", eu confesso que também estou ansioso pensando: "será que alguém vai conseguir?".    Portanto, logo, logo estarei aqui novamente. Até lá, vamos ficar limpos?

Finalizo desejando bons momentos à todos e dizendo que milagres existem, pois eu sou um!
Agradeço ao Poder Superior por mais estas 24 horas sóbrias e desejo que elas sejam renovadas e extensivas à todos adictos.
Às famílias e amigos de dependentes químicos, meus sinceros votos de recuperação e serenidade.

Até o nosso próximo encontro!

Continuo sendo o Júnior, um adicto em recuperação, limpo, só por hoje!
Abração!
TAMUJUNTU.


Fonte: Artigo: "A FAMÍLIA E A DEPENDÊNCIA QUÍMICA: UMA ANÁLISE DO CONTEXTO FAMILIAR", de Andréa S. Schnorrenberger

Nenhum comentário:

Postar um comentário